3705 – Mar Cáspio, o maior lago do mundo


O Mar Cáspio no globo terrestre

Tem 371 mil km2 e situa-se entre o extremo leste da Europa e o extremo oeste da Ásia. Banha a Rússia, o Azerbaijão, o Turquemenistão, o Cazaquistão e o Irã, com as estepes da Ásia Central ao norte e a leste. Na Antiguidade, era conhecido como oceano Hircaniano e também é actualmente denominado como mar Khazar e mar Khvalissian.
Com sua superfície e seus 1.200km de comprimento e 450km de largura, o Cáspio é o mais importante lago do mundo. A sua profundidade média é de 180m, com a cota máxima de 1025m, e a sua extensão costeira é de quase 7000km.
Os rios Volga e Ural desaguam no mar Cáspio, que está ligado ao Mar de Azov pelo canal Manych. O Volga é responsável pela maior parte do fluxo de água que chega ao mar. Assim sendo, esta via fluvial é fundamental para que seja mantidos o equilíbrio aquático, a constituição biológica e química e a oscilação do nível da água. Desta forma, o que acontece em torno do vale do Volga resulta em repercussões sobre o mar Cáspio.
Mas o mar Cáspio não recebe somente água da bacia do Volga. A poluição resultante de quase metade da população russa e de um terço da produção industrial e agrícola de áreas do rio Volga explica os elevados níveis de poluição em quase toda a bacia hidrográfica. A falta de preocupação ambiental no período soviético foi um dos fatores para a degradação do mar Cáspio.
O nível do mar Cáspio subiu e desceu ao longo dos séculos. Alguns historiadores apóiam a teoria segundo a qual, durante a Idade Média, um aumento do nível das águas teria provocado a inundação de cidades litorâneas da região de Khazaria, como a cidade de Atil. No século XX ocorreram pelo três grandes períodos de mudança no nível geral da superfície do Cáspio. Entre os anos de 1900 e 1929, praticamente não ocorreram variações significativas de nível. Porém, entre 1930 e 1978, o nível das águas apresentou uma diminuição contínua, principalmente entre 1930 e 1941. A causa principal desse fenômeno foi a diminuição do fluxo de água vinda dos rios que ali têm sua foz.
A partir de 1978, o nível médio do Cáspio subiu cerca de 2,5 metros. As oscilações de nível, típicas em lagos ou mares fechados, causam impactos tanto do ponto de vista ambiental como na economia das áreas ribeirinhas. Tal cenário aconteceu no mar Cáspio durante a prolongada queda do nível das águas (1930/1977), sendo que especialistas acreditavam que essa era uma tendência irreversível. Assim, o governo soviético realizou a planificação do futuro da economia do local, considerando a contínua baixa do nível do mar. Quando o nível subiu, parte considerável do que foi construído, como estradas e assentamentos agrícolas, ficou submerso. Os danos do aumento do nível aquático acabaram sendo maiores nos territórios planos da costa norte e nordeste, áreas pertencentes à Rússia. Especialistas ainda não têm explicações para o recente aumento do nível do mar, nem uma previsão do que poderá ocorrer num futuro próximo
Outro aspecto importante são suas variações de nível e seu balanço hídrico, se comparado o primeiro aspecto com o que vem acontecendo no Mar de Aral, cuja superfície líquida ficou reduzida dramaticamente nas últimas décadas.
O Cáspio é uma das zonas de maior produção de petróleo no mundo, em particular nas águas territoriais do Azerbaijão. Recentes pesquisas anunciaram a presença de grandes reservas de petróleo nas profundezas do lago.
O Cáspio é também conhecido por conter uma população de esturjão, que fornecem as ovas que são transformadas em caviar. Mas como consequência das atividades pesqueiras ilegais a população tem hoje seu volume muito abaixo do que era antes.