3350 – Nave Soyuz acopla na Estação Espacial com 3 astronautas


Um módulo da nave Soyuz acoplou com êxito nesta sexta-feira (horário local) na ISS (Estação Espacial Internacional), levando a bordo um russo, um americano e um japonês, anunciou o Tsoup (Centro de Controle de Voos).
Nave Soyuz parte em direção à ISS com russo, americano e japonês
“O módulo Soyuz TMA-O2M acoplou na ISS de forma automática” à 1h20 de Moscou na sexta-feira (18h20 de Brasília nesta quinta-feira), informou Valeri Lyndine, porta-voz do Tsoup, localizado nos subúrbios da capital russa.
Serguei Volkov, da agência espacial russa, o americano Mike Fossum da Nasa, e Satoshi Furukawa, da agência espacial japonesa Jaxa, decolaram na terça-feira do cosmódromo de Baikonur, nas etapas de Cazaquistão, na Ásia central.

3349 – Vaca clonada na Argentina produzirá leite materno


Um instituto argentino anunciou a criação da primeira vaca clonada transgênica que incorpora genes humanos com o objetivo de produzir leite com propriedades nutritivas semelhantes às do leite materno.
Chineses criam vacas que produzem leite materno humano, como vimos em outro artigo.
“A vaca clonada, que se chama Rosita ISA, é o primeiro bovino naquele país a obter genes humanos incorporados ao seu código genético, que são capazes de codificar as proteínas presentes no leite materno”, disse o INTA (Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária) por meo de um comunicado.
A vaca foi apresentada em teleconferência com a Casa Rosada, sede do governo argentino, onde a presidente Cristina Kirchner disse ter rejeitado a “homenagem” de ter a vaca batizada com seu nome.”Vieram me dizer que o nome seria Cristina, mas que mulher gostaria de ter seu nome numa vaca? Por isso me pareceu mais apropriado que a batizassem de Rosita”, disse a presidente.
Rosita ISA nasceu em 6 de abril, por cesariana, devido ao seu peso excessivo (45 kg). “Geralmente os bovinos da sua raça (Jersey) não passam de 22 kg”, divulgou o instituto.
“O objetivo é elevar o valor nutritivo do leite bovino pela produção da proteína lactoferrina [é antibacteriana e antiviral] e da lisozima [também atibacteriana]”, disse em entrevista a jornalistas Adrián Mutto, um dos pesquisadores.
A clonagem realizada pelo INTA teve a participação da Universidade Nacional de San Martín.

3348 – O que São Paulo e a Califórnia têm em comum?


Os estados são os mais ricos de suas nações: em 2002, a Califórnia gerou 14,5% do Produto Interno Bruto americano (1 503 trilhões de dólares) e São Paulo, 34,95% do brasileiro (302 bilhões de dólares).
Califórnia e São Paulo têm muito em comum, guardadas as devidas proporções. Os estados são os mais ricos de suas nações: em 2002, a Califórnia gerou 14,5% do Produto Interno Bruto americano (1 503 trilhões de dólares) e São Paulo, 34,95% do brasileiro (302 bilhões de dólares). Conseqüentemente, são grandes investidores em tecnologia. O Vale do Silício californiano, ao redor da Universidade Stanford, é o berço da internet e um dos principais produtores de alta tecnologia do mundo. Nos arredores da Unicamp (interior de São Paulo), o “Vale do Silício brasileiro” abriga, em 21 municípios, mais de 110 empresas de tecnologia – como IBM, Compaq e Lucent –, responsáveis pelo primeiro chip de computador nacional e por um PIB de 60 bilhões de dólares em 1991 (9% do brasileiro e igual ao do Chile). Maior produtora mundial de cana-de-açúcar e álcool, a região de Ribeirão Preto detém um dos maiores índices de qualidade de vida do país – por isso, é conhecida como a “Califórnia Brasileira”.
Ricos, os estados atraem imigrantes e são populosos. São Paulo tem 36 milhões de habitantes, a Califórnia, 35 milhões. Um entre quatro moradores da Califórnia não é americano. São Paulo recebeu, entre 1882 e 1978, 2,5 milhões de imigrantes de 60 etnias. Cosmopolitas, esses estados são os de maior representatividade homossexual em seus países. São Paulo tem a terceira maior parada gay do mundo (800 mil pessoas em 2003). A maior é a de São Francisco, Califórnia, com 1 milhão de participantes (a segunda é a de Toronto, Canadá).
Atualmente, o crescimento do skate fortalece outro paralelo entre os estados. Criado na Califórnia nos anos 60, o esporte encontrou em São Paulo seu principal público. Atualmente, assim como a Califórnia nos Estados Unidos, São Paulo é maior centro de skate no Brasil. A capital do estado abriga a maior pista coberta da América Latina e lançou dois campeões mundiais: Sandro Dias (2003) e Carlos de Andrade (2000).

3347 – Quem foi o segundo homem a pisar na lua?


A última missão tripulada à Lua foi a Apollo 17, em 1972.
Buzz Aldrin. Nunca ouviu falar? Mas de Neil Armstrong já, não? Pois é: Armstrong era o comandante da missão Apolo 11, que em 20 de julho de 1969 pousou na Lua e da qual fazia parte o piloto Edwin Eugene Aldrin, o Buzz. Um terceiro astronauta, Mike Collins, nem pôs os pés para fora do módulo de comando Columbia, que permaneceu em órbita estacionária. Buzz Aldrin foi o primeiro a fazer xixi na Lua – esse título ninguém tira dele. Para isso, usou um tubo instalado dentro de sua roupa espacial – nenhuma das milhões de pessoas que viam tudo pela TV deve ter notado. “Ao pisar na Lua, pensei: ‘devastação magnífica’”, disse Buzz. Além de Armstrong e Aldrin, dez astronautas – todos americanos – desceram no solo lunar. A última missão tripulada à Lua foi a Apollo 17, em 1972.
Neil Armstrong desceu do módulo e deu o primeiro passo na superfície da Lua com o pé esquerdo. Depois de 20 minutos, Buzz Aldrin pisou no deserto lunar. Quando voltou, Buzz recebeu dezenas de medalhas e homenagens – no entanto, ficou infinitamente menos conhecido que seu comandante Armstrong. O turismo espacial irá reacender a excitação de exploração espacial que existia nos anos 60”, afirma Buzz. Além disso, ele fatura com uma linha de produtos licenciados, como pôsteres e fotos autografados.