2833 – Astronáutica – Gagárin deixou carta de despedida


O russo Gagárin, o primeiro homeme a entrar em órbita

Caso voo espacial fracassasse…
Fonte: Folha Ciência

Uma nova onda de curiosidade sobre a vida e a morte do cosmonauta Yuri Gagárin surge às vésperas do aniversário de 50 anos da viagem do primeiro homem a viajar ao espaço, comemorados nesta terça-feira.
Os voos experimentais realizados com animais, como a famosa cadela Laika em 1957, demonstraram que o estado vital de quem está em órbita piora dramaticamente a partir da terceira volta.
Por isso, nem todos acreditavam que a missão tivesse sucesso ou que Gagárin retornasse vivo sem perder a razão –os soviéticos prepararam de antemão três versões oficiais para serem divulgadas.
O próprio Gagárin, muito consciente do risco da gravidade zero, escreveu uma carta a sua esposa, na qual dava permissão para ela se casar novamente e pedia que ela educasse as duas filhas “não como pequenas princesas, mas como pessoas normais”.
Pouco antes de a nave Vostok ser lançada em 12 de abril de 1961, e realizar o feito na corrida espacial travada entre Rússia e Estados Unidos, Gagárin brincou: “O importante é que temos salsichão para acompanhar aguardente.”
No voo sem precedentes históricos, Gagárin (1934-68) manteve uma breve conversa com o pai do programa espacial soviético, Sergei Korolev.
“Aí você têm café da manhã, almoço e jantar. Embutidos, balas e chá. Ao todo, 63 itens. Vai voltar a engordar”, falou à época Korolev, obsessivo para que o cosmonauta tivesse alimentos suficientes antes de retornar à Terra.
Na verdade, a ideia era só dar uma volta ao redor do planeta, mas Korolev decidiu estocar mais alimentos para o caso de surgirem complicações. Em outras palavras, a missão falhar.
A integridade de Gagárin foi tal, que ele teve tempo de rir dos nervosos técnicos que o acompanharam até o interior da Vostok quando, devido a uma falha hermética, tiveram de retirar e colocar cada um dos 32 parafusos que selavam a escotilha.
O famoso “Vamos lá!”, dito pelo cosmonauta, ocorreu pouco antes do início da volta no planeta em 108 minutos.
Para a a aterrissagem, as autoridades da Rússia se preocupavam com a hipótese de Gagárin pousar fora do território russo. A agência oficial russa de notícias, a Tass emitiu um documento a todas as nações sobre a viagem do cosmonauta, e que ele poderia aterrissar no solo de uma delas.
Finalmente, um outro comunicado informou que às 10h55 no horário de Moscou, a nave espacial Vostok havia aterrissado na região da União Soviética e o piloto-cosmonauta major Gagárin pedia que se comunicasse ao governo que a aterrissagem havia transcorrido com normalidade, que estava bem e não sofrera qualquer lesão.
“Os primeiros sempre são pessoas de sorte. É preciso reconhecer que o bem-sucedido voo de Gagárin foi em grande parte uma questão de sorte”, comentou o subchefe da agência espacial russa (a Roscosmos), Anatoli Davydov.
CONSPIRAÇÃO
A morte de Gagárin durante um voo de treinamento de um caça Mig, depois de sete anos após sua viagem ao espaço –ele morreu em 27 de março de 1968–, levou à uma teoria conspiratória.
O chefe dos arquivos do Kremlin, Aleksandr Stepanov, contestou a tese nesta semana. “A causa mais provável da catástrofe foi uma brusca manobra para evitar uma sonda”, disse.
O relatório de novembro de 1968 aponta que a manobra levou o avião “a um estado crítico de voo e a sua queda em condições climatológicas adversas”.
Outra provável causa nos arquivos indica que o acidente poderia ter ocorrido quando Gagárin tentava evitar a entrada em uma camada de nuvens.
COMEMORAÇÕES
A pedido da Rússia, a Assembleia Geral da ONU declarou em 12 de abril “Dia Internacional do Voo do Homem ao Espaço”. Nesta terça, haverá diversos eventos em Moscou em alusão ao marco, incluindo uma salva de artilharia de 50 tiros de canhão no Kremlin.
Em outros países do mundo, o cosmonauta será homenageado. Na praça Trafalgar, em Londres, ergueu-se uma estátua de Gagárin pela cidade ter sido a primeira visitada após seu histórico voo.

2832 – OMS pretende destruir últimos exemplares do vírus da varíola


Uma das grandes assassinas da história, a varíola é, desde 1980, considerada extinta pela OMS (Organização Mundial da Saúde). Todas as amostras de seu vírus foram destruídas, exceto em dois laboratórios. Agora, cientistas se dividem sobre o que fazer com elas.
Após sucessivos adiamentos desde a década de 1990, está previsto que a OMS decida o futuro das amostras do Orthopoxvirus variolae em uma assembleia em maio.
Em 2007, EUA e Rússia, países onde ficam os laboratórios de segurança máxima que abrigam os últimos exemplares do vírus, usaram a ameaça de possíveis ataques de bioterroristas para convencer a organização a postergar a destruição.
Segundo eles, só com amostras do vírus vivo seria possível desenvolver novas vacinas e tratamentos eficazes em caso de uma epidemia provocada por terroristas.
O argumento convenceu os países-membros, mas a pressão para a destruição tem aumentado consideravelmente, com direito a manifestações públicas nesses próprios países.
O risco de contaminação acidental em laboratório é um dos principais argumentos a favor da destruição das amostras.
Na década de 1970, houve um caso de contaminação dessa forma em Birmingham, no Reino Unido. Embora o episódio tenha causado uma morte, ele foi logo contornado.
“Nós sentimos que o mundo ficaria mais seguro sem a existência desses estoques de vírus”.

2831 – Derretimento do Gelo – Novo estudo prevê fim das geleiras de verão no Ártico em 2016


Folha Ciência
Cientistas que haviam previsto o derretimento das geleiras durante os verões no Ártico em 2013 passaram a projetar essa ocorrência para daqui a mais alguns anos, ainda nesta década, provavelmente em 2016, com margem de erro de três anos para mais ou para menos.
O cientista Wieslaw Maslowski e equipe trabalharam com um novo modelo de computador que identificou a data “estimada” como sendo 2016. A previsão original, feita em 2007, gerou uma onda de críticas quando se anunciou 2013 como o ano do derretimento.
O novo modelo –apresentado no encontro anual da EGU (União Europeia de Geociências, na sigla em inglês) — é projetado para reproduzir interações do mundo real, cruzando informações sobre o oceano Ártico, a atmosfera, o gelo e os rios que deságuam no mar.
“Desenvolvemos um modelo regional do clima do Ártico que é muito parecido com os modelos de mudança climática do IPCC [Painel Intergovernamental para Mudanças Climáticas]”, disse Maslowski, que trabalha na Escola de Pós-Graduação Naval, em Monterey, na Califórnia, à BBC News.
“No passado (…), projetávamos o futuro presumindo que as tendências poderiam persistir, como foi observado em tempos recentes”, explica o cientista. “Agora podemos fazer um modelo completo de cruzamentos para o passado e o presente, e ver uma previsão para o futuro quanto ao gelo do mar e o clima ártico.”
Um dos ingredientes mais importantes do novo modelo é a informação relativa à espessura do gelo que flutua no mar.
Satélites são cada vez mais capazes de detectar essa espessura, geralmente a partir da medição de quão acima da superfície marítima está a geleira, e indicar a profundidade do gelo.
A inclusão dessa estimativa no modelo de Maslowski foi um dos fatores que o forçou a rever a projeção de 2013, que levantou suspeitas e críticas quando anunciada em uma reunião quatro anos antes.
Desde um derretimento particularmente expressivo ocorrido em 2007, uma grande proporção do Ártico tem sido coberta por uma camada de gelo fino, que é formada durante uma única estação e é mais vulnerável a mudanças sutis de temperatura do que o gelo grosso.
Mesmo levando esse dado em consideração, a data projetada por Maslowski é anterior à prevista por outros cientistas. Um deles, Walt Meier, do Centro de Informações de Neve e Gelo dos EUA, no Colorado, diz que o comportamento do gelo marinho se torna menos previsível à medida que se torna mais fino.
2007
O derretimento drástico de 2007 foi o maior já registrado pelos satélites, ainda que nos anos seguintes a perda de gelo foi inferior à média de longo prazo.
Alguns pesquisadores, porém, acreditam que o derretimento de 2010 se tornou tão marcante quanto o de 2007, já que as condições climáticas no ano passado estavam mais favoráveis à durabilidade do gelo.
Ainda que muitos cientistas do clima e ambientalistas estejam seriamente preocupados com o futuro do gelo ártico, para outras partes da sociedade e dos governos o derretimento traz desafios e oportunidades.
Os governos da Rússia e do Canadá, por exemplo, estão de olho nas possibilidades de mineração no pólo Norte e o Exército dos EUA expressou preocupação em perder parte de sua defesa na fronteira do norte durante o verão ártico.

2830 -Tal pai, tal filho – Brandon Lee, o corvo


Brandon Lee

Brandon Bruce Lee (Califórnia, 1 de fevereiro de 1965 – Wilmington, Carolina do Norte, 31 de março de 1993) foi um ator sino-americano, filho do lendário Bruce Lee.
Logo que começou a andar, Bruce Lee, seu pai já o treinava no estilo do Jeet Kune Do. Infelizmente, aos oito anos de idade perde o seu pai repentinamente. Logo depois se mudou para Los Angeles com sua mãe e sua irmã Shannon. Desde pequeno Brandon se interessava por teatro e sua mãe o matriculou na High School of Dramaturgic. Ao contrário de seu pai, Brandon queria ser conhecido por sua habilidade teatral e não pelos seus conhecimentos marciais.
Alguns anos mais tarde ingressou na Faculdade de Emerson em Boston, Massachusetts, juntando-se a uma companhia de teatro. Brandon Lee retorna aos seus treinos de kung fu, conciliando com seus trabalhos teatrais. Volta a treinar na academia de Dan Inosanto e Ted Wong antigos alunos de Bruce Lee.
Faleceu durante as filmagens de The Crow, em português, O Corvo. Uma das cenas filmadas para o filme requeria que uma arma fosse carregada, engatilhada e apontada para a câmara mas, por causa da curta distância do tiro, a munição carregada era de verdade mas sem pólvora. Após a realização desta cena, o assistente do armeiro limpou a arma para retirar as cápsulas, derrubando um dos projéteis no cano. A arma foi carregada com festim (que normalmente tem duas ou três vezes mais pólvora do que um projétil normal, para fazer um barulho alto). Lee entrou no set com um saco de supermercado contendo uma bolsa explosiva de sangue artificial. O projétil que estava preso no cano foi involuntariamente disparado em Lee, atravessando o saco que ele trazia, causando perfurações em seus órgãos internos e partindo sua coluna vertebral, causando sua morte por hemorragia interna, mesmo com a desesperada tentativa de uma cirurgia de seis horas para retirar a bala. Houve rumores de que os negativos com a filmagem de sua morte teriam sido destruídos sem que nunca fossem revelados. No entanto, segundo fontes extra-oficiais, a trágica cena foi incluída na edição final do filme. Existe praticamente um consenso entre os defensores dessa tese a respeito de qual é a tétrica cena: trata-se do momento em que Eric Draven, o personagem de Brandon, é alvejado por diversos policiais e o impacto do tiro que o matou arremessa o seu corpo para trás, fazendo com que ele atravesse a janela às suas costas. É provável que realmente seja essa cena, pois há uma nítida incoerência na continuidade: Eric, alvejado, atravessa a janela de costas e está caindo em direção ao chão, mas na tomada seguinte(quando os estilhaços do vidro ainda estavam caindo ao solo) ele já está ereto e se agarra ao parapeito da sacada do prédio, inclusive já estando de frente para o mesmo, algo que seria inteiramente impossível. Em toda a sequência seguinte à cena da quebra da janela, quando Eric foge da perseguição policial, o seu rosto não é focalizado em momento algum pela câmera, exceto já quase ao final da mesma e de forma bem rápida e ainda estando parcialmente encoberto, quando ele se levanta após uma queda. Em slow-motion, no entanto, é possível verificar que o rosto do ator que interpreta Eric Draven naquele momento não tem nem sequer a mais remota semelhança com a fisionomia de Brandon, sendo que nesta cena não se fazia necessária a presença de um dublê, pois não se trata de uma cena perigosa, apenas se levanta do chão e sai andando, a cena rendeu a Brandon Lee muita popularidade e após sua morte The Crow ainda teve continuidade, porém, sem o expressivo sucesso do primeiro filme.Nos créditos finais do filme, os produtores incluíram uma homenagem a ele e sua noiva, Elisa Hutton. Sobre o fundo preto, aparece escrita a frase em branco: “For Brandon and Elisa.” O casamento de ambos se realizaria no dia 17 de abril de 1993, no México. Brandon, porém, morreu menos de três semanas antes, em 31 de março daquele ano.

2829 – Música – Carl Douglas, Kung Fu Fighting


Carl Douglas (Jamaica – 1942) é um cantor jamaicano, mais conhecido pela sua canção de “Kung Fu Fighting “. Douglas foi o primeiro artista jamaicano a chegar às de sucesso paradas norte-americanas, o que ocorreu em 1974. Homenagem ao Kung Fu, a música chegou ao top da Bilboard e se tornou um clássico da Disco.

2828 – Titãs do Cinema – Bruce Lee


Bruce Lee

Bruce Lee, (São Francisco, 27 de novembro de 1940 — Hong Kong, 20 de julho de 1973). De origem Chinesa, nascido nos Estados Unidos, foi um ator, lutador, artista marcial, filósofo, diretor, roteirista e mestre em Artes Marciais, tendo fundado o Jeet Kune Do. É considerado o artista marcial mais importante do século XX. Foi o responsável pela popularização dos filmes de Hong Kong no mundo.
Lee recebeu o nome Lee Jun Fan, pelos seus pais que em Cantonês literalmente significa avigore São Francisco, em homenagem ao nome em chinês de seu local de nascimento, São Francisco, Califórnia. O nome Bruce foi dado por uma enfermeira do hospital em que Lee nasceu, também recebeu outro nome durante sua infância, Sai Feng, um nome típico feminino, usado normalmente para afastar a criança de maus espíritos.O seu nome artístico foi Lee Siu Lung em Cantonês ou Li Xiao Long em Mandarim que literalmente significa Lee Pequeno Dragão, o nome foi dado por um diretor em 1950 de um filme cantonês no qual Lee atuou.A mãe de Bruce Lee, Grace Ho pertencia a um dos clãs mais ricos e poderosos em Hong Kong, os Ho Tungs. Ela era a sobrinha de Sir Robert Ho Tung, o patriarca do clã e um importante empresário euroasiático de Hong Kong. Com isso, o jovem Bruce Lee cresceu num ambiente rico e privilegiado. Logo, pelo lado materno, Bruce Lee era familiar de Stanley Ho, um importante magnata de casinos de Macau.
Bruce tinha uma facilidade acima do comum para aprender e executar os movimentos ensinados pelo seu mestre. Como em muitas das escolas de artes marciais na época, os alunos eram ensinados por outros alunos mais graduados. Mas Yip Man começou a treinar Lee em particular após alguns alunos se recusarem a treiná-lo, pelo fato de que sua mãe não era totalmente chinesa (o avô materno de Bruce era alemão e sua avó Chinesa) e a maioria dos chineses naquele tempo recusavam-se a ensinar artes marciais aos ocidentais e aos mestiços.Após a guerra, Hong Kong era um lugar difícil de se crescer. Havia diversas gangues pelas ruas da cidade e Lee foi muitas vezes forçado a lutar contra elas. Mas Bruce gostava de desafios um contra um e por diversas vezes enfrentou membros dessas gangues. Mesmo com o pedido de seus pais para que ele se afastasse desse cotidiano, pouco adiantou. Devido aos desafios que Bruce venceu as confusões vinham naturalmente até ele. Na primavera de 1959, Lee participou de uma briga de rua onde a polícia foi chamada. Lee brigou, venceu e espancou o filho de uma temida família das Tríades. Finalmente o pai de Lee decidiu que seu filho deveria deixar Hong Kong para seguir uma vida mais segura e saudável nos Estados Unidos. Seus pais ficaram sabendo através da polícia que desta vez o oponente de Bruce Lee tinha antecedentes criminais, e havia a possibilidade de que sua gangue atacasse Bruce Lee. E que se Bruce voltasse a se envolver em brigas desse nível, poderia ser preso.E em abril de 1959 eles decidiram mandá-lo para os Estados Unidos para se encontrar com sua irmã Agnes Lee, que já estava morando com amigos da família em São Francisco.
Aos 18 anos de idade, Bruce Lee foi para os Estados Unidos, com 100 dólares no bolso e 2 títulos de campeão de Boxe de 1957 e 1958 de Hong Kong. Depois de viver em São Francisco por vários meses, ele se mudou para Seattle no outono de 1959, para continuar seus estudos e trabalhou para Ruby Chow como garçom e lavador de pratos em seu restaurante.
Ruby era esposa de um amigo de seu pai. Seu irmão mais velho Peter Lee também acolheu Bruce Lee em Seattle para uma pequena estadia. Em dezembro de 1960, Lee concluiu o ensino médio e recebeu seu diploma da Edison Technical School (agora Seattle Central Community College, localizado em Capitol Hill, Seattle).Em março de 1961, matriculou-se na Universidade de Washington e estudou filosofia. Também estudou teatro e psicologia. Foi na Universidade de Washington que conheceu sua futura esposa, Linda Emery, com quem se casaria em agosto de 1964.Bruce teve dois filhos com Linda, Brandon Lee e Shannon Lee.
Bruce Lee era conhecido pela sua aptidão física e desenvolvimento avançado dos músculos do corpo. Seus exercícios e treinamentos cumpridos com dedicação tornaram-no tão forte quanto uma pessoa de seu porte poderia ficar.Depois de sua luta com Jack Wong Man, em 1965, Lee se focou totalmente no treinamento de artes marciais. Sentia que muitos artistas marciais de sua época não passam tempo suficiente treinando o condicionamento físico. Bruce incluiu em seus exercícios de condicionamento todos os elementos da força e da aptidão muscular, resistência muscular, resistência cardiovascular e flexibilidade. Tentou técnicas tradicionais de musculação para construir músculos volumosos ou aumentar a massa muscular. No entanto, Lee teve o cuidado de advertir que a preparação mental e espiritual era fundamental para o sucesso do treinamento físico nas habilidades de artes marciais.
Nos Estados Unidos entre 1959 e 1964, Lee abandonou os pensamentos de uma carreira no cinema em favor da dedicação total às artes marciais. William Lee Dozier o convidou para uma audição após assistir uma de suas apresentações de artes marciais. Lee impressionou tanto os produtores com sua agilidade que ganhou o papel de Kato ao lado de Van Williams na série de TV O Besouro Verde. O show durou apenas uma temporada, de 1966 a 1967. Além disso apareceu diversas vezes em participações em várias séries televisivas, incluindo Ironside (1967) e Here Come the Brides (1969).
Não estando satisfeito com seus papéis de apoio nos EUA, Lee retornou para Hong Kong. Sem saber que “O Besouro Verde” tinha sido exibido e feito muito sucesso em Hong Kong sendo oficialmente chamado de “O Show do Kato”, foi surpreendido ao ser reconhecido na rua como a “estrela” do show. Então lhe foi oferecido um contrato de cinema pelo lendário diretor Raymond Chow para estrelar dois filmes produzidos por sua produtora Golden Harvest. Lee atuou seu primeiro papel principal em O Dragão Chinês (1971) que foi um enorme sucesso de bilheteria em toda a Ásia e o lançou ao estrelato. Logo em seguida atuou em A Fúria do Dragão (1972) que quebrou os recordes de bilheteria anteriormente estabelecidos pelo Dragão Chinês. Tendo terminado o seu primeiro contrato de dois anos, Lee negociou um novo contrato com a Golden Harvest. E depois formou sua própria companhia Concord Productions Inc, com Chow. Para o seu terceiro filme, O Vôo do Dragão (1972), foi dado o controle completo de produção do filme como o escritor, diretor, astro e coreógrafo das cenas de luta. Em 1964, em uma demonstração em Long Beach, Califórnia, Lee tinha encontrado o campeão de Karate Chuck Norris. Em O Vôo do Dragão, Lee e Norris apresentam aos espectadores uma luta final em pleno Coliseu, de Roma que é considerada uma das mais memoráveis da história dos filmes de luta.No final de 1972, Lee começou a trabalhar em seu quarto filme, O Jogo da Morte. Começou a filmar algumas cenas, incluindo sua sequência de luta com a estrela do basquete estadunidense Kareem Abdul-Jabbar de 2,18m, um ex-aluno. A produção foi interrompida quando a Warner Brothers ofereceu a oportunidade de Lee estrelar em Operação Dragão, o primeiro filme a ser produzido em conjunto pela Golden Harvest e Warner Bros. Este filme seria o foguete de Lee para a fama na Europa e nos Estados Unidos, no entanto, apenas alguns meses após a conclusão do filme e 6 dias antes do seu lançamento 26 de julho de 1973, Lee morreu misteriosamente. Posteriormente, Operação Dragão se tornaria uma das maiores bilheterias do ano e Lee uma lenda das artes marciais. Foi feita com o custo de $ 850.000 em 1973 (equivalente a US $ 4 milhões). Até à data, Operação Dragão arrecadou mais de $ 200 milhões no mundo inteiro. O filme provocou uma febre pelas artes marciais, simbolizadas em canções como “Kung Fu Fighting” e programas de TV como o Kung Fu.
A Morte
Em 10 de Maio de 1973, Lee desmaiou no estúdio Golden Harvest, enquanto fazia o trabalho de dublagem para o filme Operação Dragão. Ele sofreu convulsões e dores de cabeça e foi imediatamente levado para um hospital de Hong Kong, onde os médicos diagnosticaram edema cerebral. Eles foram capazes de reduzir o inchaço com a administração de manitol. Esses mesmos sintomas que ocorreram em seu primeiro colapso depois foram repetidos no dia da sua morte.Em 20 de julho de 1973, Lee foi a Hong Kong, para um jantar com o ex-James Bond George Lazenby, com quem pretendia fazer um filme. Segundo sua esposa, Linda Lee, Lee encontrou o produtor Raymond Chow às 2 da tarde em casa, para discutir a realização do filme Jogo da Morte. Eles trabalharam até as 4 da tarde e depois dirigiram juntos para a casa da colega Lee Betty Ting, uma atriz de Taiwan. Os três passaram o script em casa e, em seguida Chow se retirou.Mais tarde, Lee se queixou de uma dor de cabeça, e Ting deu-lhe um analgésico, Equagesic, que incluía aspirina e um relaxante muscular. Cerca de 7:30 da noite, foi se deitar para dormir. Quando Lee não apareceu para jantar, Chow chegou ao apartamento, mas não viu Lee acordado. Um médico foi chamado, que passou dez minutos tentando reanimá-lo antes de enviá-lo de ambulância ao hospital. Lee foi dado como morto no momento em que chegou ao hospital.
Não houve lesão externa visível, porém de acordo com relatórios da autópsia, o seu cérebro tinha inchado consideravelmente, passando de 1.400 a 1.575 gramas (um aumento de 13%). Lee tinha 32 anos. A única substância encontrada durante a autópsia foi Equagesic. Em 15 de outubro de 2005, Chow declarou em uma entrevista que Lee morreu de hiperalergia ao relaxante muscular “Equagesic”, que ele descreveu como um ingrediente comum em analgésicos. Quando os médicos anunciaram a morte de Lee oficialmente, o país considerou uma enorme “desgraça”.
A controvérsia ocorreu quando o Dr. Don Langford, que foi médico pessoal de Lee em Hong Kong e o havia tratado durante seu primeiro colapso acreditava que o “Equagesic não foi único remédio envolvido no primeiro colapso de Bruce.”No entanto o professor RD Teare, um cientista forense da Scotland Yard que supervisionou mais de 1000 autópsias, foi o perito superior designado para o caso Lee. Sua conclusão foi que a morte foi causada por um edema cerebral agudo devido a uma reação aos compostos presentes na prescrição de remédios como o Equagesic.
Sua esposa Linda voltou para sua cidade natal, Seattle, e foi enterrado no lote 276 do Cemitério Lakeview. Seu caixão foi carregado no funeral em 31 de julho de 1973 por Taky Kimura, Steve McQueen, James Coburn, Chuck Norris, George Lazenby, Dan Inosanto, Peter Chin, e seu irmão Robert Lee.A morte de Lee ainda é um tema de controvérsia.Devido a seu status de mito, começaram a circular teorias de que ele havia sido envenenado pelas Tríades, enquanto outros acreditavam que um cabal secreto de mestres de artes marciais matou Lee por ter revelado muitos segredos aos não-orientais, Lee dizia que através da artes marciais a cultura oriental teria a chance de ser respeitada e reconhecida.Houve ainda rumores de uma maldição hereditária sobre a família Lee, que afetou mais um membro em 1993, quando o seu filho, Brandon Lee, foi morto em um acidente estranho durante as filmagens do filme O Corvo.A explicação oficial é que Bruce Lee teve uma reação adversa aos remédios que havia tomado para a sua dor de cabeça, o que causou um edema cerebral, matando o ator.
Vídeo Game Strret Fighter
Fei Long é uma personagem da série de video game Street Fighter, produzida pela Capcom. É uma homenagem à lenda dos filmes de Kung Fu, Bruce Lee. Os dois se parecem muito e também Fei Long imita os gritos de Lee em batalha, e é tão furioso e um lutador ágil. Além disso, Fei Long é chinês (especificamente Cantão, região de Hong Kong), sendo um dos primeiros caracteres baseados em Bruce Lee (que na verdade era americano, natural da cidade de São Francisco, no estado da Califórnia). Fei Long, um jovem e talentoso ator de cinema, é o mestre do Hitenryū Kung Fu. Embora lutasse nas ruas para aprimorar suas habilidades, ele chamou a atenção de um diretor de cinema, que o transformou uma sensação internacional.Fei Long em chinês, significa Dragão Voador. Assim como Balrog é nitidamente baseado em Mike Tyson, Fei Long é baseado em Bruce Lee. Essa semelhança levou à substituição dele por Sawada no filme de 1994. Embora a versão oficial diga que Fei Long não aparece no filme por ser um personagem muito genérico, acredita-se que, na verdade, a Capcom não queria pagar direitos de imagem à família de Bruce Lee.