2682 – De ☻lho no mundo: O Golfo Pérsico


Golfo, rivalidades na vizinhança

Permanece a região de petróleo e gás natural mais explorada do mundo. Entretanto a participação da área na produção mundial caiu de 41% em 1979 para 26% em 1991. Na década de 1980, a guerra entre Irã e Iraque interrompeu em parte a exploração do petróleo do Golfo. A invasão do Kuwait pelo Iraque teve como efeito imediato a quase eliminação da produção nesses 2 países mas, outros países, notadamente a Arábia Saudita, aumentaram a produção em quantidades suficientes para preencher o vazio deixado pela guerra.

Exceto pequenos países da península arábica, que se tornaram independentes por volta de 1971, a maioria dos países do Oriente Médio já haviam conquistado a independência formal da Grã Bretanha ou França, por volta de 1950. Mas os 2 países europeus continuaram tentando manter suas influências por meio de alianças militares ou políticas. Quase todos os países mais pobres, em especial a Jordânia, Síria e Egito, enfrentaram inflação crônica e êxodo rural em massa. Na maioria dos casos, até mesmo os países mais férteis são importadores de alimentos. Após a guerra do Golfo, os EUA conseguiram envolver Israel e os seus vizinhos árabes em negociações de paz. O petróleo é a riqueza natural mais valiosa da região. A produção e a renda cresceu com o aumento dos preços decretado pela OPEP em 1973. No entanto, números mais recentes mostraram o impacto provocado pela guerra entre Irã e Iraque. Ironicamente, a abundância de petróleo contribuiu para agravar a inflação em países mais pobres. A escassez local de mão de obra especializada transformou a imigração em grande escala e a presença de considerável número de trabalhadores estrangeiros permanentemente na região.
Os países com litoral banhado pelo golfo Pérsico, em ordem horária, são: Omã, Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita, Qatar (que ocupa uma península avançada sobre o golfo), Bahrein (uma ilha no golfo), Kuwait, Iraque, e Irã. Todos estes países, com exceção dos dois últimos (Iraque e Irã), formam uma união econômica denominada Conselho de Cooperação do Golfo.
O golfo Pérsico e suas áreas costeiras são a mais rica e mais usada fonte de petróleo do mundo; as indústrias derivadas da sua extração e refino dominam a região. Existem diversas ilhas no golfo, algumas das quais são contestadas por estados vizinhos.
O nome “golfo Pérsico” foi emprestado de numerosas línguas antigas (inclusive o grego), sendo utilizado amplamente desde a Antiguidade, em razão de ali ter existido a nação-estado da Pérsia (onde hoje é o Irã).
Em meados da década de 1960, com o surgimento do nacionalismo árabe, os países da região passaram a chamar o golfo de “golfo da Arábia”. O Irã, então, enviou duas petições para as Nações Unidas (em 1971 e 1984) exigindo o reconhecimento oficial da região como “golfo Pérsico”.
A maioria dos países denomina a região “golfo Pérsico”, mas alguns países árabes usam o termo “golfo da Arábia” ou simplesmente “o Golfo”, havendo ainda uma proposta para o denominar “o golfo entre o Irã e a península Arábica”. O Irã tem feito uma campanha para garantir que o golfo localizado entre o país e a Península Árabe seja conhecido como golfo Pérsico, e não como golfo Árabe.
O Golfo é localizado no Médio Oriente, como um braço do mar da Arábia, entre a península da Arábia e o Irã. Trata-se de um mar interior com cerca de 233 000 km², ligado ao mar da Arábia a leste pelo estreito de Ormuz e pelo golfo de Omã, e com seu limite a oeste marcado pelo delta do Shatt al-Arab, chamado Arvand-Rood pelos iranianos, que carrega as águas dos rios Eufrates e Tigre.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s