2669-AIDs- Entendendo o ciclo do vírus


Vírus da AIDs

Se prende a parede da célula . RNA viral é transcrito para DNA. O DNA é transportado para o núcleo da célula. O DNA viral é integrado ao DNA da célula. A própria célula passa a produzir o RNA viral e proteínas, matéria prima do HIV. A enzima protease ajuda a produzir o novo vírus, que é liberado da célula. O AZT e outra droga similar, 3TC, atacam o vírus no estágio 2. Inibidores de protease entram em ação no último estágio, prevenindo a fabricação de novas partículas virais. Já existem 3 tipos aprovados pela FDA, o Norvir, Rixivan e Invirase.

O HIV infecta hoje cerca de 30 milhões de pessoas segundo a conservadora estimativa da ONU. Os líderes são : África Subsaariana com 63% dos casos, sudeste asiático 23%, América Latina com 6% , América do Norte 3,7%, Europa Ocidental 2,2%, Caribe 1,3% e Oriente Médio 0,9%. Demais regiões com menos de 1%. Estão com AIDS : 56% de homens, 40% de mulheres e 4% de crianças. Já morreram : 46% de homens, 31% de mulheres e 23% de crianças.
AIDS- Cronologia da cura 1976 – Primeiro caso comprovado conhecido, na África, reconhecido anos mais tarde em estudos no corpo da vítima. 1978 – Primeiros casos da doença, então desconhecida, aparecem entre homossexuais dos EUA. 1981- A doença recebeu o nome de AIDS. O agente causador era ainda desconhecido. 1983- O pesquisador Luc Montagnier, do instituto Pasteur da França isolou o vírus que provoca a imunodeficiência, batiza-o então de LAV, era o causador. 1985 – Foi criado o 1º teste que detecta o HIV no sangue. 1986- O AZT (zidovudine) começou a ser testado e ministrado. A 1ª droga contra a doença mostrou seus resultados. 1990- Primeiros resultados positivos dos testes com a droga DDl ( dideoxinosina). Como o AZT, ela retarda o enfraquecimento do sistema de defesa do organismo e reduz infecções oportunistas. 1996- Coquetéis de 3 drogas eliminaram pelo menos durante um ano, o vírus do sangue de pessoas que começaram a terapia quando sua infecção tinha menos de 90 dias.

O Brasil enfrenta com dificuldade o problema para oferecer o coquetel para pacientes com HIV. Apenas 5% tem condições de comprar os medicamentos. Oficialmente o país tem 45 mil portadores com a doença já manifestada, o número de contaminados é em torno de 500 mil. Foi provado que o vírus se multiplica de forma intensa desde o momento da contaminação ( ao contrário do que se pensava antes), e deve ser combatido precocemente. Com o coquetel, mesmo que o vírus não sofra uma mutação, alterando sua estrutura genética, driblando a ação da droga, as outras podem controlar a sua multiplicação. Foi demonstrado que 62% dos pacientes com carga viral alta desenvolviam AIDS em 5 anos. Apenas 8% dos pacientes com carga viral baixa apresentavam a doença em 5 anos. A partir daí o grupo de pesquisadores passou a defender o uso de potentes drogas antivirais. A terapia precisa ser avaliada periodicamente. Níveis imperceptíveis de material genético do vírus significam que as drogas estão funcionando.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s