2621- De Olho no Mapa – Hungria


Parlamento de Budapest, na capital húngara
Hungria no mapa. Clic para ampliar

País da Europa Central que faz fronteira com a República Checa ao norte, Romênia ao leste, Croácia e Sérvia ao sul, Áustria e Eslovénia a oeste e Ucrânia a nordeste. De norte a sul flui o rio Danúbio numa grande planície agrícola. A oeste do rio fica a floresta Bakony de árvores decíduas e um planalto fértil com colinas que contém granito. Há depósitos de linhita, Bauxita e gás natural, e o clima é com invernos rigorosos e verões quentes. A invasão Mongol devastou a população em 1241 e a linhagem Arpad acabou em 1301. Atualmente, após o colapso do COMERCON, o comércio declinou e houve aumento do nível de desemprego. Refugiados da Iugoslávia que se desintegrou, também colaboraram para o enfraquecimento político-econômico.
É um país sem saída para o mar na planície da Panônia, na Europa Central. Limita com Áustria, Eslováquia, Romênia, Ucrânia, Sérvia, Croácia e Eslovênia. Sua capital é a cidade de Budapeste, a maior do país. A Hungria é membro da OCDE, OTAN, UE e do Grupo de Visegrád, e é um Estado Schengen. Sua língua oficial é o húngaro, que integra a família lingüística fino-úgrica.

Em seguida a períodos de ocupação céltica (após 450 a.C.) e romana (de 9 a.C. até o século IV), considera-se que as bases da fundação do Estado húngaro foram estabelecidas no século IX pelo chefe magiar Árpád, cujo bisneto Estêvão I ascendeu ao trono com uma coroa enviada por Roma em 1000. O Reino da Hungria existiu sem interrupções por 946 anos, e em diversos momentos foi visto como um dos centros culturais do mundo ocidental. Uma potência significativa até os anos 1910, a Hungria perdeu mais de dois terços de seu território (e 3,3 milhões de húngaros étnicos) devido ao tratado de Trianon de 1920. Sucedeu ao reino um regime comunista (1947-1989) durante o qual o país recebeu ampla atenção da comunidade internacional por conta da Revolução de 1956 e, posteriormente, a abertura de sua fronteira com a Áustria em 1989, que acelerou o colapso do Bloco Oriental. Desde aquele ano, o país é uma república parlamentarista. Hoje a Hungria é um país de alta renda e seu objetivo é tornar-se um país desenvolvido pelos padrões do FMI.
O Tratado de Trianon, criado para se refazer as pazes com os países vencedores, criado em junho de 1920, determinou as fronteiras da Hungria no pós-guerra. O território perdido foi distribuído da maneira seguinte:

A Hungria foi reduzida a 93.000 km².
A Romênia recebeu a Transilvânia 102.000 km², diziam os líderes romenos que lhes interessavam uma ferrovia húngara, nos limites da Transilvânia, por isso tão grande parte de terra foi lhes concedida, mas possivelmente as riquezas minerais locais também estavam sendo cobiçadas.
A Croácia, a Eslavônia e a Voivodina uniram-se à Sérvia (63 000 km²).
A Tchecoslováquia recebeu a Rutênia e a Eslováquia num total de 63 000 km², foi dividida da forma que é hoje, pois para a Tchecoslováquia interessava ter acesso ao Rio Danúbio.
A Áustria recebeu a Burgenland (4 000 km²) da qual a cidade de Sopron voltou à Hungria após o referendo de 1921. O país perdia então 71% de seu território, 66% de sua população, grande parte das suas reservas de matéria prima e seu único porto marítimo (Fiume, hoje Rijeka, na Croácia) para os países vizinhos.
A Hungria não quis aceitar a divisão de seu país, mas enfraquecida, não havia força militar para desfazer o tratado. O inconformismo com a perda de territórios e população foi a tônica do processo político húngaro do entre-guerras e perdura. Há quem diga que os húngaros que viviam em terras que passaram às mãos de outros países, sofriam alta discriminação e ataques (exemplo seriam as cidades húngaras alagadas pela criação de barragens na Transilvânia). Muitos húngaros abandonaram suas casas e migraram para outros países. O único país que futuramente ofereceria ajuda para recuperar as terras seria então a Alemanha nazista.
Com 93 000 km², a Hungria é um dos maiores países da Europa Central. Suas dimensões são de 250 quilômetros de norte à sul e 524 quilômetros de leste à oeste, com 2 258 quilômetros de divisas com os 7 países (Sérvia, Croácia, Eslovênia, Ucrânia, Romênia, Eslováquia e Áustria) que o cerca.

Sua população é estimada em 10 064 000 de habitantes, apresentando um decréscimo populacional desde o último censo oficial em 2001. Tal fato vem ocorrendo nos últimos anos no país, seguindo uma linha de todos os países do leste europeu. A Hungria é um país mediamente povoado, apresentando uma densidade de 109 habitantes por km².
A maior cidade é a capital Budapeste, que em sua região metropolitana tem 2 550 000 de habitantes. Com menor proporção, a universitária Debrecen, em Hajdú-Bihar, é a segunda maior com 205 000 habitantes. A terceira é Miskolc, com pouco mais de 179 000 habitantes, no condado de Borsod-Abaúj-Zemplén, no nordeste húngaro.

Um comentário sobre “2621- De Olho no Mapa – Hungria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s