2617-Mega Notícias da Medicina: Vacina


Uma oral pode prevenir mais de 80% das sérias enfermidades diarreicas em crianças. Um estudo de uma vacina contra os 4 tipos de rotavírus responsáveis por infecções e diarréias e patenteada nos EUA, previne desidratações e salva a vida de crianças. 90% delas já tiveram ou tem infecções por rotavírus aos 3 anos de idade. As infecções por esse vírus foram detectadas há mais de 30 anos e são atualmente a mais importante causa de diarréia grave entre bebes e crianças abaixo de 2 anos. Praticamente todo mundo já teve infecções por rotavírus, mas em crianças pode ser grave. Em 1988 foi desenvolvida uma vacina, a RRV-TV, baseada em um rotavírus de macaco , mais fraco e que pode combater as 4 formas de vírus que atacam os humanos. Os testes foram positivos e a vacina está sendo produzida por licença exclusiva dos laboratórios Wyeth-Ayerst da Filadélfia.

Verminoses
O homem já foi a Lua, mas em termos de saúde pública, talvez esteja uns 2 mil anos atrasado. Ainda não se sabe dar o destino certo a dejetos humanos. No Brasil, 60% da população tem algum tipo de helminto. Verminoses não são exclusividade de áreas rurais, onde a variedade é maior. Alguns tipos de vermes como o Ascaris lumbricóides, conhecido como lombriga , o tricéfalo e o oxyurus, são considerados cosmopolitas porque habitam todos os ambientes. A contaminação se dá pela ingestão de ovos presentes na água não tratada e nos alimentos, principalmente frutas e verduras. O problema começa no campo, quando o horticultor irriga suas plantações com água dos rios contaminadas. Outro fator de transmissão é a mosca doméstica, que de valas contaminadas levam os ovos para dentro de casa e para cima dos alimentos que devem ser cobertos. Em periferias e interior é comum se defecar em quintais e plantações. Os ovos vivem de 2 a 6 meses, podendo reinfectar pessoas. A esquistossomose, conhecida como barriga d’água é provocada por uma larva que vive na água e penetra na pele. Quando se toma banho em água contaminada. A solitária presente na carne de porco e bovina é um dos vermes mais comuns na América Latina com mais de 4,5 milhões de infectados, segundo a OMS. O problema é grave só quando o homem é o hospedeiro, transmitindo aos demais, aí surge a doença chamada cisticercose, que na sua forma mais grave é denominada neurocisticercose e pode ser fatal. O tratamento clínico é a base de antiparasitários e corticóide. A cirurgia depende da localização e do número de larvas no organismo. Precauções » Lavar bem as mãos antes de comer alimentos e com água tratada ou fervida os consumidos crus. Para beber água idem. Preferir produtos de origem animal que possuir carimbos dos serviços de inspeção federal. Comendo fora, observar se o estabelecimento está tomando cuidados higiênicos básicos. Água sanitária e vinagre não protegem contra vermes, somente contra bactérias. Não deixar os alimentos expostos ás moscas. Não comer carne crua ou mal passada, principalmente suína. Não tomar banho e rios e lagos ou andar descalço em lugares que possam estar contaminados.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s