A teoria quântica e o microscópio


O relógio brilha no escuro por causa de um fenômeno conhecido desde o começo do século, a radioatividade. Átomos pesados e instáveis de elementos químicos como o rádio e o urânio emitem partículas carregadas de alta energia que foram batizadas de radiação alfa. O descobridor delas foi Ernest Rutheford (1871-1937), um físico neozelandês radicalizado na Inglaterra. Descobriu que os minúsculos átomos são constituídos de grandes espaços vazios, e a maior parte de sua massa se concentra num núcleo central de carga elétrica positiva, e ao redor deste, os elétrons , de carga negativa. O primeiro a querer explicar o fenômeno que violava as leis da física do início do século foi um dinamarquês chamado Bohr. Einstein havia demonstrado que a luz, que sempre foi concebida como uma onda, se comportava as vezes como um jorro de partículas, ou fótons. Segundo a teoria da relatividade, nenhum corpo pode se deslocar no universo com a velocidade superior á da luz. A dualidade da matéria, que ora se comporta como partícula, ora como onda, cria situações inimagináveis ao nosso senso comum. O fenômeno que ocorre com outras partículas subatômicas como o elétron, é conhecido como efeito túnel e só pode ser explicado a partir da mecânica. A rigor, um elétron não é nem partícula nem uma onda, mas um outro nível de realidade, cujo o comportamento , as vezes pode ser associado ao de uma partícula é de uma onda. Uma das aplicações desse efeito ocorre com o microscópio eletrônico, que substitui com vantagem os óticos.

AIDS – Cadê a vacina?


Dois passos para frente e um para trás, assim anda a ciência na luta contra a AIDS. A vacina estava prevista para o ano 2000 , mas até agora nada (2007). A vacina funciona imitando o microorganismo invasor, mas sem causar a doença. A meta é despertar o sistema imune do corpo para um inimigo em potencial. A memória imunológica pode ser feita com uma forma atenuada ou morta do microorganismo, ou pedaços dele. A parte que produz a resposta do organismo é chamada antígeno e cada um faz criar um anticorpo para neutralizar o vírus. As vacinas contra varíola, pólio e raiva são exemplos bem sucedidos, mas o comportamento singular do vírus HIV e sua grande variação antígena tem impedido a criação de uma vacina eficaz.

Veneno contra o enfarte


O veneno da crostalus durissus terríficus (cascavel) pode ser um importante aliado ao ajudar as vítimas de enfarte do miocárdio. Foi descoberto que a crotoxina, , uma proteína existente no veneno da cobra tem efeito vasodilatador e pode aumentar o fluxo coronariano. É formada por 2 proteínas : Fosfolipase e crotopatina. A primeira também existe no corpo humano, sendo ativada pelo organismo no início do enfarte. Foi isolado também um soro extraído do sangue do gambá, rico e fator 8, elemento responsável pela coagulação e que falta no sangue de hemofílicos. Afirmou-se que o soro extraído do gambá é 400 vezes mais eficiente do que o humano na correção do plasma dos hemofílicos. Isso foi descoberto pelo soro na observação da resistência do gambá ao veneno da jararaca, que provoca hemorragia.

Grandes polêmicas – Pena de Morte


As execuções de condenados foi um dos 3 temas centrais nas últimas eleições para o cargo de governador da Califórnia nos EUA. A insegurança pública criada pelo próprio Estado fez com que os cidadãos opinassem favoravelmente a adoção da pena de morte como única solução para a criminalidade. A pena é prevista pela constituição brasileira de 1988 em seu artigo 5º, inciso 47, em casos de guerra externa. A questão é se deve ser estendida a guerra interna : homicídio cruel, seqüestro, estupro, latrocínio, e etc. A constituição de 1824 aboliu as penas cruéis, novamente adotadas pelo código criminal de 1830, que incluía a morte na forca para escravos insurrectos, homicídio qualificado e latrocínio. Foi abolida na república em 1889, exceto na legislação militar em tempo de guerra. Nem mesmo o governo militar de 1964 com sua constituição de 1967, retomou a questão.

A África antes da divisão realizada pelas potências Européias – de 1800 a 1880


Esse período assistiu a rápidas mudanças na África, com a adaptação da Sociedade ao Islamismo, comércio intenso e presença de exploradores europeus e missionários cristãos e aquisição por governantes de armas de fogo. A mistura de forças internas e externas criou tensões e instabilidades que se tornaram mais agudas na década de 1870, fornecendo uma razão e uma desculpa para os europeus assumirem o controle do continente na década seguinte. Os primeiros exploradores viajavam geralmente com grupos africanos de comércio e mostravam-se receptíveis ás culturas que encontraram. Entre eles Livingstone foi o mais hábil cientista. Ele era movido por seu zelo religioso e ódio ao tráfico de escravos. Exploradores que o sucederam notadamente foram especuladores , com expedições que lembravam campanhas militares. O período entre 1830 e 1880 determinou o padrão de povoamento racial que até hoje persiste na África do Sul. Em todos os casos, a política européia foi a de dividir para governar. Por volta da década de 1890, o homem branco tinha vantagem esmagadora quanto a suprimentos bélicos e a metralhadora transformou-se a arma da partilha

Japão – População


As 3 décadas entre 1888 e 1918 testemunharam tanto um grande crescimento da população do Japão (de 39,5 milhões para 55 milhões) com um êxodo rural significativo. A população em cidades com mais de 100 mil hab. Dobrou nesse período e a população em povoados urbanos com 10 mil a 100 quase triplicou , no entanto as vilas ainda predominavam.
Japão – Crescimento no exterior
O ano de 1868 marcou o início do interesse do Japão por seus vizinhos e pelo ocidente. Em 1876, havia assegurado seus direitos sobre várias ilhas. Em 1918, possuía terras que incluíam um império continental. O crescimento das importações e das exportações aparece em ienes. Tal moeda foi emitida pela primeira vez em 1871 em paridade com o dólar, mas caiu gradativamente até 1894, quando a taxa de câmbio se estabizou em 2 ienes por dólar, permanecendo assim com pequenas variações, até 1931. Os EUA já eram os principais parceiros comerciais do Japão em 1918-22, com importações e exportações praticamente equilibradas. A China era mais importante como cliente do que como fornecedora, a Índia, exatamente o contrário. A estrutura do comércio externo japonês mudou drasticamente nos períodos de 1878 a 1822 e de 1918 e 1922. No primeiro período, os bens manufaturados representavam metade de todas as importações, mas apenas 7,2% das exportações. Em 40 anos, a proporção se inverteu : no 2º período, os bens manufaturados mais de 40% das vendas e apenas 15% das compras. Nas novas colônias, os japoneses foram bem sucedidos ao introduzir suas políticas para aprimorar a agricultura e a indústria.

Os Impérios coloniais europeus


Quando ocorreu a derrota final de Napoleão em 1815, os europeus ainda desconheciam muitas áreas do planeta e milhões de pessoas nunca haviam entrado em contato com a influência européia. Um século mais tarde, os exploradores europeus haviam penetrado nas regiões mais distantes, depois vieram missionários, comerciantes, banqueiros, soldados e administradores. Africanos e asiáticos dificilmente conseguiram ficar imunes as forças tecnológicas superiores da Europa; muitos passaram ao controle político europeu.
Europa – Comércio Primitivo

Embora a colônia britânica na Nova Gales do Sul lutasse para ali se estabelecer, não foram ambientes hostis, mas sim políticas do império que impediram seu progresso inicial. Burlado restrições , em 1800 , os residentes de Sydney, foram os primeiros a comercializar pele e óleo de foca, petróleo, madeira e carvão, além de produtos do Pacífico. Os colonizadores logo se voltaram para a criação de carneiros que produziam lã de alta qualidade. Em 1828 a Austrália exportou 900 toneladas de lã para a Grã Bretanha. Contudo, só após 1830, o valor das exportações de lã excedeu o dos produtos costeiros marinhos.

Apnéia do sono – Distúrbio


Trata-se de um distúrbio que provoca paradas respiratórias e está associado ao ronco. É uma das causas de morte súbita e atinge 9% da população. Representa 70% dos distúrbios do sono. Caracteriza-se pela parada respiratória que dura no máximo 2 minutos e meio. Parada com mais de 3 minutos pode acarretar conseqüências sérias como uma parada cardíaca ou morte súbita. Ocorre várias vezes durante o sono. A causa é a obstrução das vias aéreas superiores, impedindo a passagem de ar. Quando o distúrbio ocorre e a medida que a respiração para, há uma queda na oxigenação do sangue. O cérebro quase sempre desperta a pessoa. Isso porque ele nunca deixa de trabalhar e durante o sono acumula todas as funções involuntárias do organismo, entre elas, a respiração. 70% das pessoas que roncam apresentam o distúrbio. Algo obstrui a passagem do ar pelas vias aéreas superiores. O ronco pode ser nasal, provocado por alguma obstrução no nariz, como a rinite, ou oral. O homem ronca mais do que a mulher, mas esse privilégio ela só tem até a 4ª década de vida. É que os hormônios femininos protegem desse incômodo até a menopausa.

009-Megacurtíssimas -Inconciente, a 2ª inteligência


Uma pesquisa francesa provou que o inconciente é um método de trabalho mental para lidar com informações, sem precisar tomar uma atitude deliberada.
Inteligência – A de homens e mulheres é similar porque a quantidade de massa cinzenta no cérebro é proporcionalmente igual em ambos os sexos. Uma nova teoria defendeu que o potencial humano se mede pela capacidade de resolver problemas, e não pelos testes de QI.
Inteligência Artificial – O MIT criou um robô que conseguiu manifestar emoções. É perigoso deixar a cargo de máquinas, operações que comprometem a existência de vidas humanas, como foi sugerido no filme 2001, Uma Odisséia no Espaço.

América Latina – População e imigração


O continente herdou uma estrutura racial complexa. As sociedades hispano-americanas eram compostas em sua maioria de índios, um número menor de mestiços e uma minoria de brancos. A base indígena desta pirâmide era maior no Peru, México e Guatemala e menor no Rio da Prata e no Chile. O tráfico escravo da África acrescentou o negro, do qual descendem os mulatos e outros grupos miscigenados. O Brasil era uma sociedade escravagista até 1888, onde os negros e mestiços faziam parte das camadas sociais mais baixas. Tanto o Brasil como a Argentina receberam uma imigração maciça da Europa no fim do século 19.
América Latina – Guerra do Pacífico
Em 1879, o Chile, Peru e Bolívia lutaram para controlar o importante deserto do Atacama, rico em depósitos de nitrato. A vitória do Chile (1883) tornou-o a maior potência do Pacífico. Os nacionalistas latino-americanos não só lutaram contra a Espanha e Portugal como entra si. Exceto no Brasil, a fragmentação foi seguida pela emancipação, dando origem as 20 repúblicas de hoje. Disputas fronteiriças propiciaram conflitos mas não fora necessariamente a causa de vária guerras importantes : guerra do México com EUA (1846-8), seguida da separação do Texas, que custou ao México a perda da Califórnia (ao todo o México perdeu 40% de seu território original) ; a guerra do Paraguai, 1864-70, na qual Argentina, Brasil e Uruguai derrotaram e espoliaram o Paraguai, único país onde os indígenas haviam preservado sua identidade. Tais conflitos internacionais sangrentos custaram só ao Paraguai 330 mil vidas e quase todos eles foram seguidos de longa guerra civil. As ilhas Malvinas ( Falkland) , reclamadas pela Espanha ate 1811 e depois pela Argentina; foram colonizadas pela Inglaterra em 1765-1774;britânicas, 1833.
América Latina –Independência e crescimento
O General José San Martin e seu exército atravessaram os Andes a partir da Argentina em 1817, para libertar o Chile das forças reais. Depois de um longo cerco a Lima suas forças declararam o Peru independente em 1821. No ano seguinte Guayakil, no Equador, passou o controle de seu exercito a Simón Bolívar, que retirou-se para a Europa onde morreu em 1850.

A fragmentação do Império Otomano


Durante o século 19 e início do século 20, o império Otomano e várias regiões adjacentes se desagregam em um grande número de unidades políticas.
___ Albânia- Província Otomana até a independência no fim de 1912, após violentos combates.
___ Armênia- Região a oeste do império Otomano e a leste da Pérsia; região oriental ocupada pela Rússia, 1804; Brevemente República unida Independente, 1918-20; autonomia prometida, porém não concedida, devido a não ratificação do tratado de Sevres, subseqüentemente absorvida pela Turquia
___ Azerbaijão – Principalmente sob o domínio Persa até o início do século 19, parcialmente ocupado pela Rússia.
___ Bósnia – Otomana ; administração Austríaca desde 1878, , incorporada ao império austro-húngaro, 1908, região da Iugoslávia após 1918.
___ Bulgária- Província otomana desde o século 14, levante nacionalista malogrado, 1875-6; a autonomia concedida porém, dividida em 1878, foi unida a Romênia oriental.
___ Creta – Província Otomana desde 1669, independente, 1898, incorporada á Grécia, 1913.
___ Geórgia – Reino independente sob controle persa intermitente; incorporada á Rússia, 1801; brevemente independente, 1918-20, depois incorporada novamente.
___ Grécia – Domínio otomano desde o século 14, país independente após as revoltas de 1821, 1833, ampliadas pelo acréscimo de Creta e Macedônia.
___ Iraque – Formado a partir de 3 antigas províncias otomanas de basra, Bagdá, Mossul, 1920 , sob mandato britânico, 1920-32.
___ Kuwait – Governo autônomo de xeques sob a família As-Sabah desde 1756, tratado de proteção com a Grã Bretanha , 1899-1961.
___ Demais países do bloco otomano : Líbano, Palestina, Pérsia, Quatar, Romênia, Sérvia , Síria, Transjordânia e Tunísia. Após a primeira guerra mundial os aliados pelo tratado de Sevres (1920), propuseram desmembrar a Turquia. Finalmente as exigências turcas foram atendidas e o tratado de Lausanne (1923) reconheceu a soberania da Turquia.

EUA – Ascensão a potência mundial


Canal do Panamá___ Por um tratado com o Panamá (1903) , arrendaram a área e tomaram posse dela como soberanos. Mas, sob 2 novos tratados, ratificados em 1978, a zona do canal foi entregue ao Panamá, sendo os EUA obrigados a entregar o controle do canal em 1999. No Alasca, a corrida aos campos de ouro de Klondike, em 1897, levou essa disputa as últimas conseqüências. O Canadá temia a perda da região noroeste. Um tribunal orientado politicamente, no qual um juiz britânico deu o voto de Minerva, estabeleceu fronteira reivindicada pelos EUA. Do México tomaram as províncias do Texas, Novo México e Califórnia. No Caribe , a guerra contra a Espanha levou a conquista de Porto Rico e a transformação de Cuba em protetorado. Atraídos ao Pacífico pelas explorações do capitão Cook, navegadores americanos começaram a operar na região em 1784, pelo Cabo Horn. Eles já controlavam o Havaí por volta de 1842, compartilhando concessões extorquidas da China, pela Grã Bretanha, a marinha dos EUA teve acesso ao Japão em 1854, a Coréia, 1882, obteve ainda a Baía de Pago Pago, Samoa (1878) e Pearl Harbor. A intervenção dos EUA em uma insurreição cubana levou a guerra com a Espanha, como vimos.
História dos EUA – Imigração e política
Na eleição de 1800, o poder passou do partido federalista aos adversários de Jefferson. Essa revolução pacífica forneceu base estável para os republicanos norte-americanos. Os padrões de votação refletiam a distribuição étnica e os grupos religiosos. Mudanças econômicas, excedente populacional e fome levaram milhões de europeus á América, atraídos pela falta de mão de obra e a existência de terras aráveis não cultivadas. Em 1890 houve mudança fundamental na origem dos imigrantes do nordeste para o sul e leste da Europa Judeus russos e nacionalidades sujeitas ao império Austro-húngaro, bem como poloneses e italianos, constituíam a maioria dos imigrantes.
EUA – Eleições
Eleição de 1860- Neste ano , a união americana dividiu-se com a questão da escravidão. O candidato republicano, Abraham Lincoln prometeu conter a expansão da escravidão para o oeste. Venceu em todos os municípios da nova Inglaterra, na maioria dos municípios do estado de NY e do noroeste. As instituições típicas eram a fazenda e a mina. A partir de 1880, a imigração maciça e a entrada de capital estrangeiro, apoiados pelas estradas de ferro e transporte marítimo aperfeiçoado, aceleraram o desenvolvimento econômico.

Mega Tecs – Fm e Hi-fi, a aliança perfeita


Receiver da Gradiente, desing exuberante e poderoso

O aperfeiçoamento do sistema de transmissão em Fm foi paralelo ao aprimoramento da alta fidelidade. Na prática significa reproduzir em toda a gama de freqüências audíveis ao ouvido humano, com um mínimo de distorções. Em Hi-fi distingui-se desde as notas mais graves do órgão de tubos até os tons mais agudos dos flautins, pratos, triângulos etc. Alguns equipamentos modernos, não só superam a faixa de freqüência audíveis pelo homem como apresentam distorções com índices inferiores a 1%. Ainda dentro das exigências o som deve ser estéreo, correspondente a audição humana, que é biaural. Ouvir uma obsoleta transmissão em AM em mono seria o mesmo que estar ouvindo uma orquestra com apenas um ouvido. Tanto na gravação quanto na reprodução tudo deve ser duplicado, ou em 2 canais ou mais. Microfones, cabeças de gravação, caixas e etc.
Audiotécnica – Diminuir para sobreviver
A miniaturização foi outro caminho seguido pelo rádio, para resistir a televisão. A válvula foi substituída pelo transistor , que além de economizar espaço, libertou o rádio da tomada de força, sendo alimentados por pequenas pilhas e baterias, os novos aparelhos são facilmente transportáveis e de dimensões semelhantes a um maço de cigarros.
Alta Fidelidade
Equalização- O uso principal se refere aos reprodutores fonográficos (atualmente com o uso quase abandonado), Cd players , e também pré amplificadores de fitas magnéticas na correção de características de gravação. Outra aplicação é na alteração da resposta dos amplificadores usados nos dispositivos de áudio, tais como cabeças gravadoras de discos , reprodutores de fono , microfones e alto falantes, nas quais na resposta não é nivelada com a freqüência.

Áudio – Breve histórico


O lendário System One da Gradiente

Partindo da descoberta das ondas de rádio ( hertz, 1887 ), e da invenção das antenas para recebe-las ( Aleksander Popov) , no ano de 1885 ; Guglielmo Marconi conseguiu emitir sinais e capta-los a centenas de metros, criando o telégrafo sem fios (1896). No início do século 20, o americano Lee De Forest inventou o emissor de ondas regulares e contínuas e a válvula. Os EUA possuíam 4 emissoras em 1921 e 382 em fins de 1922. A proliferação de emissoras criou o problema da interferência de freqüência, impondo a regulamentação de faixa e horário. Com a invenção do transistor, em 1947, aumentou rapidamente o n.º de aparelhos : 180 milhões em 1950, 870 milhões em 1988. A 1ª transmissão radiofônica no Brasil aconteceu em 7 de setembro de 1922, a primeira estação, porém, só entraria no ar em abril de 1923 : a Radio Sociedade do RJ, fundada por Henrique Morize e Edgard Roquete Pinto.
Áudio – A Reprodução do Som
Antes da era atual ( a era dos CDs ), o velho disco de vinil e as fitas K7 pré gravadas nasciam em um estúdio de gravação, onde o técnico desenvolve um trabalho bastante delicado : é ele que maneja as centenas de botões e controles de volume da grande mesa de som, fazendo a mixagem, misturando e modificando os sinais para obter o sinal de saída desejado. Para esse comando é necessário um perito, não tanto em eletrônica, mas em qualidade de som, uma vez que de sua sensibilidade depende uma montagem precisa e equilibrada, que melhor corresponda as características sonoras e interpretativas dos músicos que estão tocando. Ao lado da grande janela de vidro, caixas acústicas do tipo monitor de som neutro permitem ao operador ouvir diretamente com a máxima fidelidade, o resultado da sessão de gravação.
Áudio – Do sinal á gravação estéreo
A gravação sonora é realizada por intermédio de microfones, dispositivos que transformam energia mecânica ( As vibrações do ar do sinal sonoro ) em energia elétrica, obtendo movimento por um imã em um campo elétrico ou pela variação de capacitância de um capacitor embutido no invólucro do microfone. O sinal elétrico é assim obtido e enviado a um gravador que possui numerosas pistas ( até 32 ). Quanto maior a quantidade de pistas utilizadas, melhor a distribuição dos vários sinais sonoros. Tal recurso é importante para a gravação de peças musicais executadas por muitos instrumentos diversos e especialmente quando a gravação é estéreo, cujos efeitos dependem da distribuição dos diferentes instrumentos pelo espaço do estúdio. A fita magnética original obtida era então transformada em disco de vinil, fita de rolo e k7. Para fabricar as fitas pré gravadas, já em desuso, bastava transferir a gravação do programa, para fitas de menor tamanho e com velocidades diferentes. Nos casos do vinis a operação é mais complicada: Iniciava-se com a gravação de sinais mecânicos em uma chapa de matéria plástica, geralmente acetato de polietileno. Os sinais elétricos provenientes de 2 canais gravados com fita magnética master, resultante da mixagem dos diversos canais originais, fazem vibrar um agulha cujos movimentos laterais e verticais vão deixando um suco irregular inscrito na chapa. No processo de reprodução, percorre-se um caminho de certo modo inverso. A agulha de leitura de um toca vinil ( hoje raro), move-se lateralmente e verticalmente ao percorrer o sulco, cuja variação de forma corresponde as variações do sinal que lhe deu origem ( sistema analógico). Esse movimento é transmitido a um imã que se pode deslocar dentro de um campo elétrico: o sinal de variação desse campo é enviado a um amplificador e, depois elaborado e convenientemente amplificado, move os alto-falantes. Também nesse processo de reprodução ocorre transformação da energia mecânica em elétrica ( da agulha para o cabeçote ) e vice versa ( do amplificador para os alto-falantes ).

Audiofilia – Dos instrumentos musicais ao velho disco de vinil



Primeiro reveste-se a chapa de acetato gravada (disco mestre) com uma camada de prata, mediante um processo de deposição eletrolítica. Depois de 3hs, pode se destacar do disco mestre a primeira matriz prateada, chamada forma mestra, com 0,625 mm de espessura. Essa forma, por sua vez, também é submetida a um processo de metalização eletrônica , que a recobre de uma camada mais dura , de níquel, obtendo-se assim a forma positiva ou madre, que pode ser ouvida num toca discos, permitindo a descoberta dos defeitos removíveis. Da forma positiva, obtém-se uma forma matriz, negativa, também metalizada. Ele é que servirá de estampo para a prensagem dos discos . A forma matriz tem apenas 0,25mm de espessura e seu verso é polido para remover quaisquer protuberâncias. Antes da prensagem essa forma recebe o furo central numa operação de grande precisão, porque um furo excêntrico, mesmo que ligeiramente, determinará pressões no braço do toca discos obrigando-o a movimentos laterais que provocarão distorções. A pasta plástica para os discos é uma mistura de cloreto de polivinila (PVC) , com 14% de acetato de vinila. Biscoitos dessa mistura, aquecidos, são levados á prensa , onde são colocados em estampos de um lado e do outro do disco. As etiquetas centrais já são postas sobre o biscoito, de modo que sejam fixadas no lugar pela própria prensagem no disco. Após essa operação, o disco é colocado num aparelho que recorta as rebarbas do excesso de plástico na borda. A seguir é acondicionado em envelopes de plástico ou papel e inserido em uma capa de papelão. Nas fabricas modernas é tudo automático.
Áudio – O que é Transfer?
Se trata de um torno especial, destinado á gravação da chapa. A operação de gravar os sinais no acetato de polietileno é uma etapa crucial na produção do disco. Um gravador magnético de alta fidelidade lê a fita master gravada. O sinal elétrico produzido na cabeça de leitura é enviado á cabeça de gravação da chapa provocando o movimento das duas bobinas magnéticas, que por sua vez fazem mover as agulhas. O sulco gravado sobre a chapa será, portanto, a reprodução fiel das variações do sinal registrado sobre a fita magnética. O torno possui dispositivos elétricos totalmente automatizados para controle e comando do movimento da cabeça.
Audiotécnica – A gravação direta
Um dos maiores problemas da gravação fonográfica diz respeito a perda de algumas características físicas do sinal como a amplitude e a intensidade, que se refletem depois de uma menor fidelidade na audição. Isso se deve ao número de etapas ainda necessárias, levadas do sinal sonoro ao disco. Para sanar esse inconveniente, fazem-se hoje gravações diretas, ou seja, suprimem-se as etapas intermediárias de gravação da fita : o sinal sonoro recolhido pelo microfone vai comandar diretamente o torno de gravação. Mais avançado ainda é a gravação laser, na qual veremos mais adiante com detalhes.

A Antidieta


Fazer dieta engorda. Esse aparente absurdo é a filosofia da antidieta. Aplicada no Brasil desde 1987. A busca é no processo de seleção natural, a justificativa para liberar a comilança. Quando alguém faz dieta rigorosa o corpo reage como se a inanição estivesse se instalado. Como a comida é pouca, a queima de gordura é cada vez menor; o apetite então aumenta e o organismo vai aumentar ainda mais suas reservas calóricas. Armazenar gordura é um mecanismo de defesa da espécie humana. Quando o regime acaba, é como se uma mola comprimida fosse subitamente liberada, daí a gula. A solução proposta é comer quando se tem fome, comer o que se tem vontade e parar de comer quando estiver satisfeito.

Odontologia – Anestesia Bucal


Os anestésicos são substâncias que , quando em contato com fibra nervosa, possui a propriedade de interromper o influxo, levando a perda dos sentidos ou sensações. Anestésicos não tiram a capacidade motora da pessoa , mas sim sua sensibilidade. O homem sempre tentou descobrir métodos para controlar a dor. Hipócrates (450ac), empregava vapores de bangue , uma espécie de erva na qual se faz o haxixe, para obter narcose em seus pacientes. Os egípcios usavam a mandágora para aliviar a dor e na América Latina, os incas mascavam a folha de coca para esse mesmo fim. Antes do advento da anestesia, as cirurgias eram um suplício para o paciente. Enlouquecer ou mesmo tentativas de suicídio eram comuns as vésperas de um intervenção cirúrgica , ou mesmo uma simples extração de dente. A anestesia foi utilizada pela primeira vez pelo cirurgião dentista Morace Welles em 1844. Ele próprio se submeteu a extração de um molar superior por seus assistentes.

Curiosidade Acústica


O eco do castelo de Woodstock, na Inglaterra repete 70 sílabas com grande nitidez. As ruínas do castelo Deron repetiam 27, antes que uma de suas paredes ruíssem. Num arco rochoso perto de Adersbach, na Checoslováquia, repete 3x, 7 sílabas. O zumbido das abelhas é apenas o barulho do bater das asas que vibram centenas de vezes por segundo. A mosca, cujo zumbido tem o tom de fá, vibra 352 vezes por segundo; a abelha 440 vezes, os mosquitos, 500 a 600 vezes por segundo , a hélice de um avião, em comparação, apenas 25 vezes por segundo.

Química – Hibridação


Em genética, a palavra hibridar ou hibridizar significa cruzamento de 2 espécies diferentes, produzindo uma nova espécie. Por exemplo, o burro é o produto do cruzamento da égua com o jumento. São conhecidas hibridações como a do berício, do boro e do carbono. Elas só ocorrem na última camada e no momento que o átomo vai efetuar ligações moleculares com outros átomos.
Óxido Redução
É o fenômeno decorrente das ligações químicas, o fator mais importante é o comportamento dos elétrons. Numa ligação iônica o que caracteriza é a transferência de elétrons. Numa ligação covalente, temos o compartilhamento de elétrons com a formação do orbital molecular. O conceito de óxido redução surgiu do interesse dos químicos em estudar o domínio dos elétrons pelos átomos.

A Iª Guerra Mundial


Em 1914, as potências européias estavam divididas em 2 campos rivais. Após o início da guerra, os 2 grupos procuravam aliados. A Alemanha e a Áustria – Hungria receberam adesão da Turquia e da Bulgária. A Rússia e a França e Inglaterra, ganharam o apoio do Japão, Itália, Romênia e após muito esforço a Grécia. De longe, os principais partidários da causa foram os EUA que declararam guerra a Alemanha em 6 de abril de 1917. Na Europa o preço das vidas humanas e destruição material alterou a concepção sobre a guerra. Estima-se que mais de 8 milhões de combatentes tenham morrido. O estopim do conflito foi o assassinato do presumível herdeiro austríaco, o arquiduque Francisco Ferdinando, por bósnios em Sarajevo, em 28 de junho de 1914. Na crise que se seguiu, como nenhuma potência aceitou derrota diplomática, a guerra venceu a diplomacia.
A reação anti-colonial
Na Ásia, a resistência ao colonialismo europeu assumiu 2 formas : nas áreas colonizadas, como Indochina francesa e Índias orientais holandesas, a população nativa optou pela luta armada para obter a independência; nos grandes impérios como a China e o império otomano, cuja integridade territorial estava ameaçada, a intervenção européia teve como conseqüência revoltas contra as dinastias reinantes e o início da modernização para enfrentar o ocidente em igualdade de convicções. A divisão da África entre as potências européias iniciada na conferência de Berlim, em 1834, provocou um movimento de resistência entre os povos africanos, reação esta que nunca pode ser reprimida. O mapa mostra a extensão da rebelião.