Galactosemia, doença genética


Certas anomalias podem originar-se após alterações do material genético do indivíduo. Ou seja, visto que o material genético não é estático pode dar-se uma mudança na sequência das bases azotadas das moléculas de DNA,conduzindo à mudança das proteínas fabricadas. Setais proteínas estão implicadas em funções específicas e fundamentais no organismo, a sua versão mutadapode, então, originar uma doença.
Mutações, latim mutare = mudar, são alterações bruscas do material genético e os indivíduos que as experimentam denominam-se por mutantes. Contudo, nem sempre as mutações têm efeitos drásticos epodem contribuir para a evolução do organismo.

Uma mutação génica é aquela em que passa a existir uma nova forma do antigo gene.

Existem diferentes agentes mutagénicos: raios-X, raios gama, radiação ultravioleta, calor, substâncias químicas (corantes alimentares, componentes do fumo do cigarro). Mas , também, com alterações do ambiente certos factores aumentam consideravelmente conduzindo a mutações e ao aumento da sua frequência. A Galactosemia é uma doença genética metabólica rara, resultante de alterações estruturais dos genes. Devido à deficiência das enzimas que estão encarregues do metabolismo da galactose, impossibilitam que ela seja transformada em glicose. Segundo estudos realizados desde os finais dos anos 70, conclui-se que uma criança em cada 5 a 7 mil nascidos vivos tem alguma forma de galactosemia, ou seja, nasce sem a enzima necessária à degradação da galactose, logo, os genes do DNA transcritos não codificam os aminoácidos necessários à produção da enzima.
Contudo, estima-se que 1 em 40 pessoas seja detentora do gene defeituoso, sendo possível passá-lo para os descendentes. Mas, afinal, qual o problema com este açúcar simples resultante, p.e., da digestão do leite?

O dissacarídio Lactose, através da hidrólise provocada pela enzima lactase, é decomposto nos seus dois monossacarídios (a glicose e a galactose), quebrando a sua ligação β-glicosídica. O monossacarídio Galactose é convertido em glicose, após catálises enzimáticas. A este processo se designa por metabolismo da lactose e quando não ocorre a conversão da galactose em glicose é quando surgem os problemas. O metabolismo resulta de uma sequência de reacções químicas, em que cada etapa é catalizada por uma enzima específica, codificada por um ou mais genes. As mutações génicas podem provocar a síntese de enzimas parcial ou totalmente inactivas ou, ainda, podem provocar a inexistência da enzima. Esta deficiência concreta no metabolismo é provocada pela deficiência em 3 enzimas que deveriam, no estado normal, degradar a galactose: Galactoquinase, Galactose-1-P uridil transferase e Uridina-difosfogalactose epimerase. Esta não conversão de galactose em glicose pode levar a uma outra reacção: conversão da galactose em galactitol (poliálcool extremamente tóxico) ou galactonato (susbtância tóxica).

Tanto existem tipos da doença benignos assintomáticos, como malignos com diversos sintomas. A galactosemia Duarte e a variante da raça negra são alguns exemplos dos benignos. As variante maligna está dividida em diferentes tipos (1, 2 ou 3) e que se classificam segundo a enzima implicada.

A doença é detectada ao nascimento (ou mesmo antes), mas nos recém-nascidos manifesta-se quando se introduz a galactose na alimentação (via leite, queijos e derivados) e os pacientes reagem, usualmente, com vómitos, perda de apetite, aumento do fígado, pigmentação amarelada da criança, tecidos inflamados e retenção de água. Através de análises, é possível observar quantidades de aminoácidos e de proteínas excessivas na urina. Quando um açucar redutor não reage no sistema, é possível encontrar glicose oxidose na urina e, logo, isso pode ser um sinal da doença. Mesmo assim, outros açúcares além da galactose podem produzir a mesma reacção. Num organismo no estado normal, sem a doença, é possível encontrar a enzima Galactose-1-P uridil transferase nas células hépaticas (do figado), nos leucócitos e nos eritrócitos; aquando da galactosemia, verifica-se a ausência da enzima nas mesmas células.
Felizmente, o diagnóstico pré-natal pode ser realizado através da amniocentese, utilizando uma cultura de fibroblastos existentes no líquido amniótico. Mesmo assim, após a nascença, deve-se fazer a triagem neonatal, ou o «teste do pezinho» como é conhecido. Na triagem neo-natal, é retirada uma gota de sangue à nascença com uma agulha na região do calcanhar e, esse sangue, é colocado sobre um papel de filtro que é analisado à posteriori. Após análise, é possível verificar a existência de doenças metabólicas como por exemplo a fenilcetonúria e a galactosemia.

O tratamento resume-se a uma dieta sem galactose ou lactose, desde que a doença é detectada, acompanhada de um monitoramento constante do nível da galactose existente no organismo. Em alguns casos, nos mais graves, é necessário um acompanhamento médico multidisciplinar, que pode envolver a pediatria, a oftalmologia, a endocrinologia (referente às hormonas e às glândulas endócrinas), a neurologia, a fonoaudiologia ou a génetica, de forma a diminuir os efeitos da doença. Não obstante, existem algumas discordâncias quanto às dietas aplicadas aos doentes, como noutras diferentes doenças. Mesmo assim, a falta de ingestão da galactose não provoca maiores problemas na composição das várias estruturas celulares porque existe um mecanismo metabólico que converte a glicose em galactose.

Nos casos de não ser iniciado o tratamento a tempo ou não for feito o diagnostico acertado, o paciente pode apresentar diversos sintomas: cataratas ou outros problemas oculares, falhas renais, danos cerebrais, deficiências de aprendizagem e no sistema reprodutor feminino (a nível dos ovários), galactosuria e hepatomegalia. Os pacientes afectados por esta doença apresentam, muitas vezes, estatura baixa, atraso mental com dificuldade na fala e cataratas, em crianças. Como consequência extrema, resultante dos casos mais graves e severos, não podemos esquecer a morte do paciente!

Fisiologia Animal – Um Campeão de Fôlego


Um atleta esbelto e veloz. Se o assunto for o antílope de nome Proghorn, a descrição cai como uma luva. Correndo sobre uma esteira rolante em laboratório, não só alcançou a velocidade de 100 km/h, o 2º colocado no planeta, perdendo somente para o cheeta , o velocíssimo felídeo africano, também conhecido como guepardo; mas também manteve em 10 minutos a média de 65 km/h ou a mesma velocidade que Um cavalo puro sangue inglês atinge no pico de uma corrida de 5 minutos de duração. Os melhores atletas humanos não passam de 38 km/h e só conseguem manter esse ritmo por no máximo 10 Seg. Tem 32 quilos de peso e altura por volta de 90 cm. Seus músculos são donos de uma singular capacidade de absorver oxigênio, o principal agente das reações químicas que geram energia para movimentar a maioria dos seres vivos. Quanto mais oxigenado o músculo, maior seu desempenho. O sistema respiratório do antílope fornece a seus músculos nada menos que 1 litro de oxigênio a cada 7,5 segundos. Um excepcional atleta olímpico não metaboliza mais que 1 litro a cada 45 segundos. (1,45 ml por Seg. por quilo). Era previsível que a capacidade de absorção desse antílope fosse maior que a do cavalo ou do homem; quanto maior o peso do corpo, menor a quantidade de oxigênio disponível por segundo. A grande surpresa, porém foi ele superar a média prevista para animais de seu porte. Comparado com uma cabra por ex: tem pulmões 2,5 mais amplo e concentração de hemoglobina 5 vezes maior, oxigenando os músculos com mais rapidez. Outra vantagem é a enorme quantidade de mitocôndrias presente em sua musculatura esquelética. Esses micro órgãos presentes nas células funcionam como verdadeiras usinas geradoras de força. É nelas que ocorre a transformação do oxigênio captado em energia. Libera a cada segundo 765 calorias , energia suficiente para aquecer em 1ºC cerca de 3 litros de água. Numa raia olímpica a derrota seria humilhante.
Desde que deixou de ser quadrúpede, o homem se tornou um perdedor comparado com grades corredores de 4 patas, tudo começaria a cerca de 12 milhões de anos com as transformações geológicas dos continentes e o surgimento das cadeias de montanhas. Nossos remotos ancestrais se viram forçados a deixar as árvores e enfrentar os predadores em campo aberto. Há 2 milhões de anos , a posição de seu quadril foi alterada e deixou de existir a angulação de 90° em seus membros e tronco , exatamente aquilo que faz com que um antílope, cheeta ou cavalo, consiga obter uma extraordinária força de impulso para correr. Hoje os músculos humanos gastam boa parte de sua energia para sustentar cerca de 150 articulações, que embora não produzam impulso, criaram as bases da civilização.

☻Mega Bloco – A Ciência e o Homem


Tubos de ensaio

A ciência exata dos gregos não começou nem com Arquimedes nem com Pitágoras, ou mesmo Aristóteles, mas com tribos antigas, que sob forma de mitologia iniciaram as primeiras reflexões sobre o mundo e o homem. Depois surgiria a filosofia. Embora a ciência recrimine e mitologia, foi esta que teve os primeiros esforços para explicar o mundo. Vejamos um pequeno trecho da mais antiga concepção do mundo e dos deuses: “Antes de tudo existiu o vazio primordial, depois a Terra de flancos alargados, solidamente assentada para sempre a serviço de todos os viventes, e o amor, o mais belo dos deuses imortais…do vazio nasceram Ereb e Noite Negra, da noite saíram Éter e Dia… Dela também nasceu o mae estéril” etc…Da união de Étere Hemera nasceria Urano (Céu); da união de Urano com Gaia surgiram os titãs, os ciclopes gigantes. Gaia não é uma deusa que habita a Terra, ela é a própria Terra. Depois de Homero surgiu a tarefa de separar o conhecimento da crença religiosa. Tales foi o primeiro a se entregar as pesquisas. Sócrates, ansioso pela verdade empenhou-se pelo desenvolvimento da ciência dentro de uma estruturação filosófica. Platão foi o inspirador mais eficiente dessa evolução já científica. Aristóteles criticou e corrigiu a logística platônica, mediante a leis do silogismo; que é uma dialética tal que, postas certas coisas, uma outra se lhe seguirá necesariamente, o que não é verdade. Aristóteles admitia 5 elementos, cujo êxito seria considerável até a mais moderna: A) o éter, elemento superior, períférico ao universo; o fogo, o ar ; a água e a terra. Das combinações variáveis de tais elementos resultariam os fenômenos climáticos: raios, nuivens carregadas de granizo, trovão, inverno, verão e etc. No final do século 4, os progressos da ciência se consolidaram graças aos grandes centros intelectuais do mundo helênico, entre os quais Alexandria. Arquimedes (287-212), nascido em Siracusa, fez estudos em Alexandria, tendo depois se domiciliado na Sicília, vivendo até a sua morte. Se notabilizou pela geometria e matemática. Previu o cálculo infinitesimal, descobriu a fórmula da circunferência do círculo, destacou-se em física, sobretudo mecânica. Redigiu um tratado de estática, formulando a lei de equilíbrio das alavancas e emitindo a teoria do centro de gravidade. Em hidrostática estabeleu um princípio da “pressão” que sofrem os corpos sólidos quando mergulhados em líquido e ficou célebre o termo eureka ! Em astronomia, construiu uma máquina que representava os movimentos aparentes do céu das estrelas fixas e dos planetas. Apesar da expressa proibição de Marcellus, o sábio foi assassinado por um soldado, por ocasião da tomada de Siracusa: absorvido em um problema de geometria, o acião havia solicitado em vão, alguns instantes de espera antes de ser levado ao general romano. Para os cálculos o único instrumento era o abaco, reservado para especialistas em operações não comuns. A trigonometria parede ter sido inventada por Hiparco (190-120). Em cosmografia citamos Aristarco (320-230), que mostrou que a Terra se move e que portanto, não, podia ser o centro do universo, que ela faz parte do sistema solar e que a lua gira em torno dela e que as estrelas não se acham integradas no sistema solar; que a Terra está inclinada sobre o seu eixo de rotação e etc. Tais teorias, na época, não obtiveram aceitação e foi necessário que Copérnico as redescobrisse mais tarde.

Hiparco levantou um catálogo de estrelas conhecidas e calculou precisamente o mês lunar e o ano sideral. O catálogo astronômico, a grande lista (megalé systaxis) do geógrafo Ptolomeu (150 DC) compreendia 48 constelações e 1042 estrelas, permanecendo em vigor até o século 15. Em botânica destacou-se Aristóteles e seu discípulo Teofrasto. Em Roma, a medicina tomou grande impulso com Asclepíades, que no século 1 aC dedicou-se a hidroterapia e recomendou massagens e regimes. Dioscorides (50dC) redigiu um tratado de medicina que foi usado até a Idade Média. Mas Galieno (131-201) foi por muito tempo autoridade em medicina. Avançando no campo da observação dos animais, ossos, articulações, artérias e nervos; psicólogo, apresentou uma primeira descrição dos temperamentos (sanguíneo, fleumático, bilioso, melancólico) e situou no cérebro o centro do pensamento; físico, prenunciou o caráter ondulatório do som. Infelizmente se desinteressou pela anatomia e se contentou em atribuir ao corpo humano o que havia constatado em dissecassões de suínos. “São vãs,, cheias de erros, as ciências que não se fundamentam ma experiência e nem culminam com uma comprocação indiscutível” Leonardo da Vinci Costuma-se incriminar o cristianismo pela derrocada geral do mundo antigo, contudo, a responsabilidade cabe ao declínio do pensamento pagão e a incultura dos bárbaros invasores. Só em 1480, um decreto do Papa Sisto IV autorizava a dissecação de cadáveres humanos: o que significa que até a renascença, os conhecimentos anatômicos e fisiológicos, não fizeram nenhum progresso. A maior parte dos alquimistas, concentravam seus esforços na procura da pedra filosofal, substância que permitiria transformar qualquer metal em ouro. Hoje sabemos que as transmutações da matéria são utopias. Nem a pedra filosofal, nem o elixir da longa vida, uma suposta infusão no álcool, da pedra, puseram ser descobertos. Um monge alemão, no século 15, Basílio Valentim, previu a existência do oxigênio, que dominava espírito de mercúrio; o suíço Felipe Paracelcus lutou contra “médicos de livros”, e sua atuação em favor dos laboratórios de pesquisas. Foi classificado entre os primeiros sábios modernos.

Fusão a frio


É uma reação da fusão nuclear em que ocorre perto das condições de temperatura e pressão normais em vez dos milhões dos graus requeridos para reações da fusão do plasma.
A fusão a frio é o termo popular usado para o que é chamado agora “energia fraca”. A reivindicação inicial da fusão a frio foi relatada primeiramente por Martin Fleischmann e por Stanley Pons na Universidade de Utah em Março de 1989. Este anúncio era notícia de primeira página por algum tempo, e gerava uma controvérsia incrível, mas o debate público diminuído rapidamente e a fusão fria foram rejeitados geralmente pela comunidade científica. Apesar disso, depois de 1989 muitos cientistas observaram experimentalmente excesso de calor, trítio , hélio e mutações nucleares. Estas experiências usam uma grande variedade de métodos.

O que é Câncer?


Crescimento desordenado das células dos tecidos. Se não se detém esse processo, sobrevém a destruição da estrutura normal e da função do órgão. A palavra câncer tem origem no latim, cujo significado é caranguejo. Tem esse nome, pois as células doentes atacam e se infiltram nas células sadias como se fossem os tentáculos de um caranguejo As células cancerosas pode ser comparado ás ervas daninhas, que se espalham num jardim, matando as flores; se não forem arrancadas, todo o jardim será destruído. Os tumores aparecem no organismo quando as células começam a crescer de uma forma descontrolada, em função de um problema nos genes. A causa dessa mutação pode ter três origens: genes que provocam alterações na seqüência do DNA; radiações que quebram os cromossomos e alguns vírus que introduzem nas células DNAs estranhos. Na maioria das situações, as células sadias do organismo impedem que estes DNAs passem adiante as informações. O tumor desenvolve um conjunto de rede de vasos sanguíneo para se manter. Através da corrente sanguínea ou linfática, as células malignas chegam em outros órgãos, desenvolvendo a doença nestas regiões. Esse processo de irradiação da doença é conhecido como metástase.
Esta doença é tão perigosa, pois possui capacidade eficiente de reprodução dentro das células e também porque se reproduz e coloniza facilmente áreas reservadas a outras células. Existem vários fatores que favorecem o desenvolvimento do câncer. Podemos citar como principais : predisposição genética (casos na família), hábitos alimentares, estilo de vida e condições ambientais. Todos estes fatores aumentam o risco de uma pessoa desenvolver a doença. O tabagismo aumenta as chances do fumante em desenvolver câncer nos pulmões, na boca e na garganta. Bebida alcoólica em excesso pode provocar, com o tempo, o aparecimento de câncer na boca. Sol em excesso pode afetar as células e cresce o risco do desenvolvimento desta doença na pele.

O câncer de mama tem origens nos distúrbios hormonais e é mais comum nas mulheres. A leucemia (câncer no sangue) é desencadeado pela exposição à radiações. Determinadas infecções podem desencadear o surgimento de tumores no estômago e no fígado. A vida estressante, a alimentação inadequada (rica em gorduras, conservantes e pobre em fibras) também estão relacionados a alguns tipos de câncer. O melhor tratamento ainda é aquele que visa evitar o surgimento da doença. Para tanto, os especialistas aconselham as pessoas a ter uma vida saudável: alimentação natural e rica em fibras, evitar o fumo e o álcool, ter uma vida tranqüila, fugindo do estresse, usar protetores ou bloqueadores solares e fazer exames de rotina para detectar o início da doença.
Atualmente, a medicina dispõe da radioterapia e de cirurgias para combater a doença. Quando se faz necessário a retirada do tumor, a cirurgia é o procedimento mais adequado. Já a radiação é utilizada para matar as células cancerígenas. Porém, este segundo procedimento tem efeitos colaterais como, por exemplo, queimaduras na pele provocada pela passagem da radiação. A quimioterapia é um procedimento que visa, através da administração de drogas, impedir a reprodução das células cancerígenas, levando-as à morte. Esse procedimento também tem efeitos colaterais como, por exemplo, a queda de cabelos. Nos casos de câncer de mama e de próstata é usada a hormonoterapia, pois estes tipos de tumores são sensíveis à ação de determinados hormônios. Existe algum meio de evitar o câncer? O melhor método e fazer um exame físico completo 1 ou 2 vezes por ano. Também é muito importante comunicar imediatamente ao medico todo o sintoma fora do comum.O aparecimento de um caroço em qualquer parte do corpo ou o sangramento inesperado de um orifício do corpo, embora não indiquem necessariamente câncer, devem ser motivo para um consulta médica.

O Câncer de Vulva

Este constitui mais um assunto de alta relevância na história da oncologia, o qual sugere um alto nível de conhecimento cientifico, para que então se possa tratar de forma certa e adequada, sempre levando em consideração a paciente nos aspectos físicos, psíquicos e sociais. O carcinoma vulvar é o quinto em freqüência, entre as neoplasias malignas. O conhecimento da existência de lesões precursoras dessa neoplasia tem motiva uma maior preocupação dos profissionais no exame fisico. Entre as patologias vulvares que merecem atenção especial, destacam-se as alterações epiteliais devido à sua alta freqüência e possível associação com o carcinoma vulvar invasor.Estima-se que 20% das mulheres apresentam sintomas relativos à doença há mais de 1 ano. Muitas dessas mulheres teriam passado por médicos que não diagnosticaram o blastoma, simplesmente prescreviam medicações locais. A detecção precoce do tumor favorece sobrevida e maior e melhores condições de locais na reconstrução cirúrgica após vulvectomias. Ao longo deste trabalho, podemos descrever a importância do estudo desse tipo de câncer, suas reais perspectivas de cura e suas devidas intervenções. Câncer (medicina), crescimento tissular, provocado pela proliferação contínua de células anormais, com capacidade de invasão e destruição de outros tecidos.O câncer é um processo de múltiplas etapas, no qual uma série de erros genéticos irreversíveis ocorre numa célula do corpo durante a vida do paciente. Os primeiros estágios (chamados de iniciação) são críticos para o estabelecimento do processo. O câncer de vulva, é um distúrbio do crescimento celular, ou seja, um crescimento anormal, das células e tecidos da região vulvar, causados por exposições à carcinógenos ou de origem genética. Certos fatores são capazes de provocar câncer em uma determinada proporção de indivíduos a eles expostos.

Entre estes, encontram-se a hereditariedade, os vírus, as radiações ionizantes, os produtos químicos, as alterações do sistema imunológico e fatores ambientais. Diversos fatores associados a uma incidência aumentada, incluem doenças concomitantes, como hipertensão, diabetes, doença cardiovascular, obesidade, câncer de colo uterino, menopausa precoce e irritação vulvar crônica (SHIRLEY, 2002). O câncer é a segunda causa de morte por doença no Brasil, perdendo apenas para as doenças cardiovasculares. Provoca cerca de 10% do número de óbitos registrados a cada ano. No ano de 1998, estimava-se que seriam diagnosticados 269 mil novos casos de câncer, com 107.950 mortes. O carcinoma vulvar representa cerca de 5% de todas as neoplasias ginecológicas. A neoplasia intra-epitelial vulvar (NIV) ocorre com mais freqüência em mulheres idosas. Os locais onde o carcinoma vulvar mais acomete são os grandes lábios, pequenos lábios e o clitóris. Por outro lado, pesquisas mostram que cerca de 15% de todos os cânceres de vulva ,está se tornando freqüente em mulheres abaixo de 40 anos. Muitas dessas jovens têm carcinomas com invasão inicial associadas a NIV difusa na pele da vulva.As neoplasias da vulva são classificadas como carcinoma de células escamosas, carcinoma de células basais, adenocarcinoma e melanoma maligno. Cerca de 90% de todas as neoplasias da vulva são carcinomas de células escamosas. Manifestações clínicas, o prurido é o sintoma mais comum e acontecem em quase 70% das mulheres. É geralmente de longa duração o que nos faz pressupor possível caráter oncogênico das vulvopatias crônicas que acompanham Os sintomas mais freqüentes, juntamente com suas porcentagens, são respectivamente:Prurido, 69%;Tumor, 44,8%;Dor, 24,1%;Ferida, 17.2%;Sangramento, 6,6%;Edema, 5,2%;Disúria, 5,2%;Ardor, 3,4%.

Ao exame ginecológico a lesão ,nota-se um maior comprometimento, principalmente à direita. Vários estudiosos, contudo descrevem que a localização da mesma, na maioria das vezes é esquerda. N o carcinoma in situ o aspecto esbranquiçado é mais predominante e aparece em 22,2% dos casos. Em relação a todos os tumores, o tamanho do neoplasma era maior em 5cm em 22,4%. Em apenas 34,5%, o tamanho situava-se entre 0,5 e 2cm. A propósito, os tumores menores que 1cm, raramente se acompanham de metástases linfonodais.Local do tumor:Pequeno lábio direito, 38%;Grande lábio direito, 32,7%;Pequeno lábio esquerdo, 31%;Clitóris, 27,5%;Grande lábio esquerdo, 20,7%;Fúrcula, 15,5%;Períneo, 8,6%.Há uma tendência a multicentricidade nos carcinomas de vulva, assim como na mama, vagina e colo uterino. O exame ginecológico é de grande importância e deve ser rigoroso, para que seja vista a possibilidade de achados de tumores multicêntricos, na vagina e no colo do útero. Deve ser feito também o toque retal, pois ajuda na avaliação de linfonodos pélvicos comprometidos, e no estudo da situação dos paracolpos e paramétricos. Faz-se necessário de inspeção minuciosa de toda a vulva no exame gineclogico, onde deverá ser a biopsiada. O instrumento de melhor observação é o colposcopia e o exame é a vulvoscopia, onde identifica toda a extensão da lesão. Para a realização do exame, utilizamos a instalação de acido acético a 5% seguida de um exame sistemático do intróito vaginal, dos pequenos e grandes lábios, do clitóris, da uretra tuminal e da região perineal e perirretal O diagnostico clínica merece confirmação pelo estudo anatomopatológico, para a confirmação e implementação da assistência. A pesquisa de metástases inclui cistóscopia, proctoscopia, clister opaco, pielografia intravenosa, linfangiografia, tomografia computadorizada (TC) e ressonância magnética (RMI). O estadiamento do carcinoma vulvar é feito clinicamente.

Mega Memória – Acidente


Uma ponte de metal que cruzava o rio Mississippi, em Minneapolis, caiu na noite de 1º de agosto deste ano. Pelo menos sete pessoas morreram quando cerca de 50 carros caíram no rio ou se misturaram aos escombros 19 metros abaixo do nível da ponte. O acidente deixou mais de 80 feridos. Vai demorar um tempo para saber o que, exatamente, fez a ponte ruir. Construída em 1967, ela se assentava sobre um arco estrutural de metal. Seu desenho não é mais usado há décadas, porque uma única falha pode fazer com que a ponte inteira venha a baixo. Ela foi classificada como “estruturalmente deficiente”, condição que afeta 11% das pontes de metal do país. Por conta disso, ela passava por inspeções anuais desde 1993. No ano passado, sua estrutura foi classificada como em “condição ruim”. Está longe de ser a pior categoria. Numa escala que vai de zero a nove, recebeu nota quatro. Um zero acarretaria o fechamento da ponte. A famosa ponte do Brooklyn, em Nova York, também tem sua estrutura classificada como em “condição ruim”.

Cérebro Humano vive dando pau!


Imagine uma máquina com capacidade de processamento de 100 milhões de megabytes, um supercomputador. Pronto, pode parar de imaginar. Essa máquina existe e está dentro da sua cabeça. Com 100 bilhões de neurônios e 100 mil quilômetros de conexões, nosso cérebro tem uma sofisticação que é a meta dos gênios que produzem softwares no Vale do Silício. Agora, volte a imaginar: se máquinas bem menos potentes vivem dando pau, principalmente se submetidas a condições extremas ou sobrecargas, calcule o que pode ocorrer no interior da sua caixa craniana. É aí que reside — ao lado da preguiça, desinteresse, desatenção ou pura má-fé — o motivador de um dos mais desgastados clichês: errar é humano. Isso é inegável, mas há erros e erros, e um dos maiores é superestimar a resistência e a capacidade do nosso cérebro. Isso abre espaço a falhas que podem levar a episódios como os exibidos ao longo desta reportagem. Parte da solução para evitar que elas voltem a ocorrer está nesse supercomputador dentro da nossa cabeça.

Reatores de fusão nuclear


Tanto as reservas de urânio e tório como as de petróleo, carvão e gás são limitadas e têm seu esgotamento previsto em prazo relativamente curto. Um reator que funcionasse com base em fusão ofereceria grandes vantagens em relação a reatores que trabalham com a quebra do núcleo atômico. Já se pode fazer a bomba de hidrogênio, mas não é possível controla-la ainda como a fissão. O Tokamak foi construído em Frascati, Itália, ainda em testes. O torus ou toróide, um volume geométrico com a forma de um pneu, constitui o vaso em que o plasma é criado e aquecido. Bobinas criam um campo magnético que propicia o confinamento. A fusão de núcleos atômicos com liberação de energia exige temperaturas iniciais altíssimas e só prossegue se forem mantidas na ordem de 100 milhões de graus C. Elementos assim aquecidos passam para o estado de plasma que é considerado o 4° estado da matéria. Um mar de partículas eletricamente carregadas em movimento desordenado se chocando entre si.

  • Confinamento é o tempo necessário para levar a reação á sua auto-sustentação, quando já não é preciso fornecimento de energia externa. Desde 1950, inúmeros esquemas foram imaginados para confinar o plasma enquadrados em 2 grupos : o confinamento inercial e o magnético; nas estrelas o confinamento é gravitacional. Há grandes máquinas do tipo Tokamak instaladas na ex. URSS, EUA, Japão, França, Alemanha, Itália e Inglaterra. Ainda são máquinas de pesquisa, mas é previsto o breve domínio da operação. No Brasil as experiências ocorrem na USP e Unicamp, onde aliás opera o único Tokamak da América Latina.

Mega Debate-Usinas nucleares, prós e contras


Argumentos pró

Já existe para a energia nuclear uma tecnologia de aproveitamento inteiramente aprovada.
As centrais nucleares são seguras. Os critérios de construção prevêem uma margem de segurança ampla que tornaria insignificante a probabilidade de acidentes, como vazamento, fusão do núcleo ativo do reator, danos por terremoto e etc.
Centrais nucleares não poluem a atmosfera ao contrário das termo elétricas que queimam petróleo ou carvão, lançando dióxido de enxofre, monóxido de carbono e partículas de metais pesados.
Não ameaçam recursos terrestres, uma vez que utilizam ínfimas quantidades de urânio.
O custo é menor. Prevê-se para breve a entrada dos auto fertilizantes que produzirão mais energia que a inicialmente consumida.

Argumentos contra as usinas

Não é verdade que inexistam alternativas para a energia nuclear. Essa falsa afirmação é difundida por grupos detentores do poder político e econômico e que controlam todo o setor nuclear.
Não é verdade que sejam mais econômicas do que as convencionais termo elétricas e a carvão. Pelo contrário, na última década, seu custo aumentou significativamente.
Na realidade as centrais elétricas não oferecem segurança. Isso foi confirmado pelos numerosos acidentes ocorridos, entre os quais os da Usina Atômica de Three Miles Island , nos EUA em abril de 1979 e na central Chernobyl, URSS, 7 anos depois. Falhas no sistema de refrigeração acarretaram enorme elevação da temperatura que rompeu a blindagem, lançando materiais radioativos na atmosfera.
Embora a ocorrência de acidentes graves não seja freqüente, um só teria conseqüências catastróficas com dezenas de milhares de mortes. Este custo social é possível e inteiramente injustificável.
Ainda não foi encontrado um sistema seguro para a destruição ou neutralização do lixo radioativo, que por enquanto vão se acumulando perigosamente dentro de abrigos subterrâneos.
Centrais nucleares necessitam de água para o resfriamento que a seguir é devolvida aquecida aos rios mares e lagos, provocando prejuízos para os organismos aquáticos. É necessário vigiar contra atentados terroristas e a militarização da sociedade favorece o possível advento de regimes autoritários.

Festejos


Segundo um psicólogo da USP, na gargalhada legítima os cantos da boca sobem, empurrando as pálpebras inferiores para cima, já na risada falsa a boca se estica para as laterais da face, sem apertar os olhos, que continuam arregalados. Só o riso verdadeiro faz as célilas cerebrais reagirem com descargas de endorfinas, calmantes naturais. Na paquera as mulheres tocam bastante os cabelos e mostram as palmas das mãos enquanto falam. Já os homens estufam o peito, de acordo com observações de 200 casais em tal situação. Os olhos nos olhos é outra característica e dilatação involuntária das pupilas. Com exageros na alimentação, o estômago lotado fica com as paredes tão esticadas que mal podem se mexer. O alívio do peso demora, não é fácil para o organismo através do intestino quebrar as gorduras comuns no cardápio do fim de ano. As 4 da manhã, no final da festa, por mais que se tente vencer o sono, o sistema nervoso cansado fala mais alto, espalhando sinais de fadiga pelo corpo. Há falta de memória, o fígado trabalha sem folga por causa do álcool e das gorduras e o sistema imunológico á beira do esgotamento.

Energia Nuclear-Reatores lentos e rápidos


  • Quando um nêutron se choca com um núcleo de U 235 ocorre a fissão, dividindo o núcleo em 2 fragmentos e liberando energia. Os nêutrons emitidos tem sua velocidade retardada atravessando uma substância chamada moderador, provocando em seguida, a fissão de outros núcleos, iniciando uma reação em cadeia. Esse tipo de central tem o inconveniente de consumir urânio natural utilizado, cujas reservas são escassas.. Os reatores a nêutrons velozes são auto fertilizantes, podendo produzir mais combustível de que foi gasto inicialmente. Um exemplo desse modelo é o Superphenix, instalado na França com a colaboração financeira de vários países europeus. Após capturar os nêutrons provenientes do processo que ocorre no núcleo ativo o U238 transforma-se em plutônio 239, ocorrendo assim uma regeneração combustível, por isso é chamado autofertilizante.
    Propulsão Nuclear – É empregada em navios e submarinos. O primeiro foi o americano Nautilus que em 1958 realizou um cruzeiro sob o gelo do polo norte. A seguir foram construídos em grande número neste país e na ex. URSS, Inglaterra e França. Tal embarcação chega a deslocar 20 mil toneladas desenvolvendo altíssima velocidade, logicamente a um alto custo.
    Se as pesquisas com fusão nuclear se tornarem realidade, teríamos uma fonte de energia praticamente ilimitada.

Fusão Nuclear

Durante tal reação, parte de matéria se transforma em energia, a mesma que é produzida pelo Sol. O deutério, isótopo essencial para a reação , está presente na água numa proporção de um parte em 7 mil de hidrogênio, e pode ser extraído da água com procedimentos simples e relativamente baratos. Em 1 quilo de deutério se produz 7 vezes mais energia que na fissão de um quilo de urânio. Pode-se afirmar que a quantidade disponível de deutério é praticamente ilimitada. Além disso, não haveria a produção de lixo radioativo. Entretanto, dificuldades práticas até agora se mostraram insuperáveis.

Urânio e rejeitos radioativos


O urânio natural é formado quase exclusivamente pelo isótopo 238 que não é indicado para sofrer a fissão mas sim o 235, que está presente na reduzida proporção de cerca de 0,7%. Para que o elemento urânio funcione como combustível nuclear é preciso que o teor de 235 seja aumentado pelo menos 3 a 6 vezes. A operação é chamada enriquecimento, realizada em usinas apropriadas. Após cerca de 3 anos de funcionamento o combustível se apresenta exaurido pois foi consumido grande parte de seu U 235, sendo necessário ser substituído. Aí surge o problema do lixo radioativo que é enviado para a usina de recuperação, para a separação dos isótopos de urânio e plutônio. O resto é um refugo perigosíssimo por sua elevada radioatividade e que costuma ser colocado em recipientes blindados e enterrados em blocos de cimento, a espera de um sistema de destruição mais seguro e definitivo. Outra opção é sepulta-lo em minas de sal gema.

Que reis foram esses?


Os reis magos seguem a misteriosa estrela de Belém

Quem foram os três reis magos? Os magos só são mencionados em apenas um dos quatro evangelhos, o de Mateus. Nos 12 versículos em que trata do assunto, Mateus não especifica o número deles. Sabe-se apenas que eram mais de um, porque a citação está no plural – e não há nenhuma menção de que eram reis. “Não há evidência histórica da existência dessas pessoas”, diz André Chevitaresse, professor de História Antiga da Universidade Federal do Rio de Janeiro. “São personagens criados pelo evangelista Mateus para simbolizar o reconhecimento de Jesus por todos os povos.”
De qualquer forma, a tradição permaneceu viva e foi apenas no século III que eles receberam o título de reis – provavelmente como uma maneira de confirmar a profecia contida no Salmo 72: “Todos os reis cairão diante dele”. Cerca de 800 anos depois do nascimento de Jesus, eles ganharam nomes e locais de origem: Melchior, rei da Pérsia; Gaspar, rei da Índia; e Baltazar, rei da Arábia. Em hebreu, esses nomes significavam “rei da luz” (melichior), “o branco” (gathaspa) e “senhor dos tesouros” (bithisarea).
Quem hoje for visitar a catedral de Colônia, na Alemanha, será informado de que ali repousam os restos dos reis magos. De acordo com uma tradição medieval, os magos teriam se reencontrado quase 50 anos depois do primeiro Natal, em Sewa, uma cidade da Turquia, onde viriam a falecer. Mais tarde, seus corpos teriam sido levados para Milão, na Itália, onde permaneceram até o século 12, quando o imperador germânico Frederico dominou a cidade e trasladou as urnas mortuárias para Colônia. “Não sei quem está enterrado lá, mas com certeza não são eles”, diz o teólogo Jaldemir Vitório, do Centro de Estudo Superiores da Companhia de Jesus, em Belo Horizonte. “Mas isso não diminui a beleza da simbologia do Evangelho de Mateus ao narrar o nascimento de Cristo.” Afinal, devemos aos magos até a tradição de dar presentes no Natal. No ritual da antigüidade, ouro era o presente para um rei. Incenso, para um religioso E mirra, para um profeta (a mirra era usada para embalsamar corpos e, simbolicamente, representava a mortalidade).

Energia nuclear


Bomba nuclear

A era atômica iniciou-se em 1942 em Chicago, quando um grupo de físicos dirigidos pelo refugiado italiano Enrico Fermi fez funcionar o 1° reator nuclear da história, promovendo a fissão controlada de núcleos atômicos. Os átomos existentes em um grama de urânio 235 podem liberar energia equivalente a obtida pela queima de 6 mil toneladas de carvão, mas a primeira aplicação prática foi a bomba atômica. Neve anos depois a então URSS inaugurou a primeira central atômica para a geração de eletricidade. Em 1954. Os EUA lançaram no mar o Nautilus, o primeiro submarino movido a energia nuclear. No decorrer das transformações sofridas pelo urânio 235, formam-se inúmeros isótopos radiativos. Chama-se isótopos os átomos de um mesmo elemento que diferem entre si apenas pelo número de nêutrons existentes em seu núcleo. O cobalto 60 é utilizado no tratamento de tumores. Por meio de um aparelho chamado bomba de cobalto é preciso dirigir com precisão os raios gama emitidos pelo elemento sobre as células cancerosas, para destruí-las ou impedir seu crescimento. A fusão nuclear é o processo pelo qual as estrelas liberam sua energia. Ocorre quando núcleo de certos elementos se fundem e dão origem a um núcleo mais pesado. Parte da massa dos núcleos iniciais transforma-se em energia. Pretende-se no futuro, utilizar industrialmente a fusão controlada usando como combustível o deutério e o trítio, formando-se a partir do deutério.

Curiosidades do mundo animal


O cão tem a audição 20 vezes mais aguçada que a do homem. Com os ouvidos em pé , ele pode ouvir o tic tac de um relógio de pulso a 12 metros de distância.
O filhote de morsa nasce no mar coberto por uma espessa penugem cinzenta.
O javali tem a visão fraca, porém possui finíssimo olfato e ouvido.
Os quatís , medem cerca de 1 metro de comprimento, sendo á metade pertencente á cauda.
A toupeira não pode passar mais que 12 horas sem comer.
O cão não distingue cores e sua percepção de formas é rudimentar.
O castor passa a maior parte do tempo dentro da água.
Sem comer um animal pode ficar vários dias , mas não resiste mais que 3 minutos sem ar.
No Brasil temos 50 espécies de escorpiões , não medindo o maior mais que 10 cm.
Rinoceronte- A espécie negra da África e grande e bem mais agressiva que as outras. É o único que pode ser considerado perigoso. É chamado pelos índios como Keitlo.
A cascavel abate sua vítima com uma só dentada , isso porque seu veneno flui de uma bolsa para a ponta de seu dente.
O mosquito tem um estômago proporcionalmente grande, nele carrega uma bolsa de sangue pesando 3 vezes o seu peso , e ainda assim consegue voar; o homem ainda não consegui essa proeza com nenhuma aeronave.
A mosca é um grande inimigo do homem; uma só pode transportar 1,5 milhão de micróbios.
Velocidades: mosca = 6 km/h , abelha = 8 a 22 km/h dependendo da espécie , libélula = 60km/h.
O falcão pode atingir uma velocidade de vôo de 290km/h e a andorinha 170km/h.
Os cervos mudam de chifre anualmente.
As moscas estão
ficando imunes ao DDT.
A hiena é um animal carniceiro que se alimenta de animais mortos e também ataca o homem , mas prefere os que estão dormindo. São hermafroditas e em perigo abandonam os filhotes.
Os peixes não conseguem resistir ao aprisionamento , poucas espécies sobrevivem. O tubarão e a baleia perdem significativamente o apetite. A laranja deve ser comida tão logo seja descascada ,pois exposta ao ar perde suas vitaminas O besouro tem um vôo inexplicável do parecer da aerodinâmica.
O avestruz é uma ave pacífica e até covarde, ,quando está em cria porém é bastante agressivo; seu chute para frente como que chutando uma bola é violentíssimo. Tal ave adulta pode ultrapassar 80 quilos e seu ovo pesa 1,5 quilo.
O Grilo, depois da pulga é o maior inseto saltador que existe.
O Barracuda é um peixe carnívoro bastante feroz, uma mordida sua pode decepar um braço ou uma perna.
As moscas estão ficando imunes ao DDT e as novas gerações de insetos tem grande resistência aos inseticidas.
O Falcão é dotado de bico adunco e poderosas garras , constrói seu ninho em zona de difícil acesso. Sua alimentação é passarinhos, ratos, cobras e possui um sistema de caça idêntico ao das águias embora voem em alturas bem mais modestas.
A rena assim que é apanhada é marcada a fogo nas costas ou na orelha em sinal de pose pelo seu captor.
O abutre ( vultur Monachus)
Freqüentíssimo na África e na Índia, prefere animais mortos, dedicando-se a necrofagia. Pode perceber a presença de um cadáver a quilômetros de distância graças á sua vista especial.
Um grande inimigo dos pingüins é a orca. Este cetáceo aguarda oculto pelas rochas, que os pingüins se atirem ao mar para agarra-los e devora-los.
As zebras são dotadas de olfato sensível ,farejam de longe a aproximação do inimigo, suas narinas apanham odores imperceptíveis.
O cavalo marinho macho tem uma bolsa onde a fêmea deposita 200 a 400 ovos para serem chocados.
O guepardo ou cheeta e o avestruz são os campeões de velocidade, enquanto o leopardo é recordista em salto em distância.
O elefante tem um período de gestação de 22 meses e seu filhote nasce com 100 quilos.
Alguns insetos como o mosquito borrachudo , chegam á idade adulta em apenas algumas horas.
Répteis- São animais de pele seca , coberta de escamas , de respiração pulmonar , com o coração dividido em 4 cavidades e fecundação interna . Recebem esse nome por se locomover se arrastando . Pertencem ao grupo dos vertebrados , sendo os primeiros a se adaptarem em lugares secos . A espécie teve grande projeção durante o período mesozóico . No Brasil temos as tartarugas , jabutis e cágados , 40 espécies , lagartos;121 espécies ;ofídios ou serpentes , 230 espécies de jacarés e caimões 5 espécies.
Até os 3 meses os gatinhos tem o estômago muito pequeno, e por isso tem que se alimentar constantemente e em pouca quantidade.
O falcão serpentário possui longas penas , habita desertos tropicais e nutre-se exclusivamente de cobras, matando-as antes que estas lhe impregnem o veneno. O gavião casaco de couro, assim chamado pela sua cor, que lembra a roupa dos vaqueiros nordestinos , é o pavor das aves domésticas.
O peixe-boi é uma espécie muito rara e praticamente extinta , isso porque foi massacrada pelos pescadores no início do século.
É muito difícil falar em preservação ambiental para ou de espécies para pessoas famintas e desesperadas e que necessitam de alimento.
As orcas tem os dentes tão terríveis que podem aniquilar um tubarão.
A baleia é um mamífero que vive no mar por causa do seu peso, se tivesse patas, não conseguiria nem se erguer do solo.
Os leõeszinhos nascem do tamanho de um gato.
A doninha é um dos carnívoros mais bem difundidos, é encontrada em quase todos os continentes.
As toupeiras não suportam a luz intensa do Sol.
Os ouriços saem á procura de alimento após o por do Sol.
O urso Kodiak (uma ilha do Alasca), é o maior carnívoro terrestre.
O ouvido do cão é muito aguçado, é porém inferior ao do gato.
A onça é o maior dos felídeos.
O tigre quando capturado até os dois meses, pode se adaptar fácil ao cativeiro.
Ecossistema- Se os pássaros entrassem em extinção , 9 anos depois o homem também entraria.

O corpo Humano


Sua beleza e harmonia de suas formas dependem principalmente, da distribuição das massas musculares. Por isso devemos exercitar os músculos de maneira racional, fazendo com que todos trabalhem e que o trabalho seja mais ou menos intenso, segunso a função que desempenha. O trabalho muscular dispende muita energia e requer por isso,maior consumo de alimentos energéticos, principalmente açúcares e glucídeos, tais alimentos durante a digestão, são transformados em glicose. Na célula, a glicose se oxida, formando água e liberando energia sob a forma de calor. Tais reações são denominadas combustões orgânicas.

O sangue não conduz apenas glicose e oxigênio; é também levada a água, vitaminas, sais minerais e outros produtos resultantes da digestão das proteínas e gorduras absorvidas no processo digestivo, além dos hormônios produzidos pelas glândulas endócrinas ou de secreção interna. Por isso, após os exercícios físicos o organismo fica estimulado. Se observarmos o físico disforme de certos atletas, principalmente mulheres recordistas disto ou daquilo, entenderemos que o objetivo da educação física não é produzir monstros, mas corpos esbeltos, ágeis e elegantes. Antes da puberdade as crianças ainda estão com seus músculos em fase de crescimento, por isso não devem ser submetidas á exercícios que requeiram contrações musculares muito intensas.

Onde estão os Ets?


Das 9 horas da manhã de Segunda, dia 19 de maio de 1986 a 10 minutos do dia seguinte, radares da aeronáutica registraram a presença de um objeto no céu do eixo Rio-SP deslocando-se a velocidades supersônicas fazia manobras impossíveis para um avião. Os pilotos da FAB disseram ter visto focos de luz irradiados nas cores verde e vermelho e de uma coisa tiveram certeza: não se tratava de aeronave conhecida. Daí então surgiram várias hipóteses sem esclarecimento final. Desde 1947 quando o piloto americano Kenneth Arnold lançou a expressão “disco voador”, diversas pessoas afirmaram terem visto um. O caso de 1986 não foi isolado. Em 8 de fevereiro de 1982, uma esquadrilha da FAB tentou sem sucesso descobrir que objeto perseguia um Boeing da VASP durante boa parte da viagem Fortaleza-Rio. Tal aparição foi também testemunhada por tripulação de 2 outros jatos. Segundo os ufologistas( ufo significa Unidentified fying object), 200 mil casos já foram registrados, 10 mil no Brasil, mas 90% dos casos não são fenômenos ufológicos, mas fraudes ou erros de interpretação. Quase todos os 13 mil casos são na verdade fenômenos astronômicos e meteorológicos tais como brilho de planetas, meteoros, estrelas cadentes, auroras, fogos de Santelmo, descargas elétricas em tempestades.
Radares podem ser enganados por influência eletrônica, reflexos de nuvens ionizadas, chuvas e diferenças de temperatura e também não é descartada a hipótese de alucinação proposta pelo psicanalista suíço Carl Jung (1875-1961) de que seriam uma versão moderna das visões de santos e demônios tão comuns na idade média. Alguns acreditam que Ets estiveram presentes quando o profeta Elias subiu aos céus numa carruagem de fogo; isso sem falar no livro ” Eram os deuses astronautas?”. Os astrofísicos não reagem bem as tais crenças. O mistério surgiu logo após a Segunda guerra mundial, quando os EUA e URSS trocavam ameaças. Em junho de 1947, Kenneth Arnold contou ter sido perseguido por esquadrilha de naves em formato de pilares, ao sobrevoar um pico.
Desde Flash Gordon , histórias de ficção científica tem sucesso garantido. Na década de 50 tivemos “Marte, o planeta vermelho”, um sucesso de bilheteria. Mas, o desenvolvimento da ciência obrigou os autores de ficção científica a se preocuparem com a base científica de suas histórias. Por menos que a ciência e o bom senso lhes dêem crédito, a crença em que discos voadores existem permanece.

Curiosidades


Alquimia- Dela se derivou a moderna química, era na idade média , a arte com que se pretendia penetrar nos mistérios da natureza. As pedras preciosas constituíam a base dos estudos e das magias dos alquimistas.

Ondas- A resposta de freqüência do FM é de 30hz a 15 kHz, a unidade de intensidade do som é o decibel, que é 1/10 da unidade utilizada originalmente denominada bell em homenagem a Grahan Bell, inventor do telefone. Sons com intensidade superior a 80 db são desagradáveis ao ouvido humano. As Ondas de rádio são imperceptíveis aos sentidos. Os raios X são capazes de atravessar toda sorte de tecidos , couros, madeiras e grande parte dos metais. As ondas curtas , por serem refletidas pela ionosfera , tem longo alcance e são usadas para comunicação a longa distância , bem como para radiodifusão internacional.
Escrita- As primeiras tintas para escrever surgiram cerca de 2500 anos Ac , usadas pelos chineses e egípcios , eram feitas com cola ou borracha misturada com água. Podemos traçar uma linha de quase 3 km com uma caneta esferográfica. A vovó das canetas foi criada pelo americano Lews Waterman . A parte final da caneta podia ser desarranchada e ali era introduzida a tinta por meio de um conta gotas.
O alfinete já era conhecido desde a o ano 2000 Ac, na chamada “idade do bronze”, pois na antigüidade as roupas não eram costuradas.

O fim da monogamia?


O fim da monogamia
Imposta ao longo de séculos por culturas e sociedades, ela agora é questionada por cientistas, que levantam a hipótese de sermos naturalmente propensos a amar mais de uma pessoa ao mesmo tempo
não dá para ignorar os quatro livros recém-lançados sobre os temas monogamia e fidelidade (para ser mais exata, a incompatibilidade de ambos) que, em menos de dois meses, vieram parar sobre a minha mesa. Por que zoólogos, antropólogos, psiquiatras e psicólogos resolveram se debruçar sobre o assunto ao mesmo tempo? Será que estou na contramão da história? Se a psicanalista e sexóloga Regina Navarro estiver certa
em suas idéias sobre a tendência dos modelos de relacionamentos amorosos do futuro – as quais aplica no seu casamento de sete anos -, então acho que estou. No novo capítulo que adicionou à reedição de seu livro “A Cama na Varanda”, intitulado “O Futuro que se Anuncia”, ela defende que o individualismo típico do século 21 irá levar ao fim o amor romântico, que é aquele que carrega a idéia de exclusividade, de fusão do casal, de alma gêmea e de que um só deve ter olhos para o outro. Será? E o que virá no lugar dele?
O poliamor já é fato. Um casal de São Paulo, por exemplo, realizou-se ao agregar dois novos parceiros à sua união
Entre os exemplos de relacionamentos que poderão “vingar” no futuro, segundo a especialista, está o poliamor. O termo é uma tradução livre para a língua portuguesa do neologismo inglês “polyamory”, que significa “muitos amores” e descreve relações amorosas que recusam a monogamia como princípio ou necessidade. O poliamor defende a possibilidade prática e sustentável de se envolver em relações íntimas, profundas e eventualmente duradouras com vários parceiros simultaneamente.
O movimento existe de modo organizado nos Estados Unidos, Alemanha e Reino Unido há cerca de 20 anos, mas começou a conquistar mais visibilidade e adeptos – inclusive no Brasil, onde ganhou uma comunidade no Orkut com mais de 600 participantes – mais recentemente.

Conservantes


Sem sua utilização, certos alimentos se deterioram facilmente pela contaminação com fungos ou bactérias. Alguns aditivos são substâncias encontradas na natureza; o sal e o alçafrão, a curcuma, a vitamina C e a leticina são alguns exemplos. A riboflavina e o ácido ascórbico são sintéticos concentrados. Temos também a tartrazina e os adoçantes artificiais como a sacarina e o espartame. Aditivos passam por testes. Os que provocam efeitos colaterais não são aprovados. São estabelecidos limites considerados seguros para o homem. Pesquisas que exploram a relação entre dieta e determinadas doenças sugerem que cerca de 35% de todos os tipos de câncer estão de fato associados a ela, mas os alimentos considerados prejudiciais são naturais, como carne defumada e bebidas alcoólicas. Aditivos não são considerados responsáveis pelo câncer. Conservantes que inibem a formação de mofo podem até ajudar a prevenir o câncer, já que este, é associado ao aumento do risco de desenvolvimento de câncer no estômago, esôfado e fígado. Antioxidantes podem ajudar a prevenir demais tipos de câncer.